Genebra, 28 (AE-AP) - A política israelense para os residentes de Jerusalém oriental está provocando o "desmembramento" de famílias palestinas, informou hoje (28) a ONU em um estudo que lista os problemas dos territórios ocupados.
O italiano Giorgio Giacomelli, um dos especialista da Comissão de Direitos Humanos da ONU, afirmou que o tratamento dispensado aos palestinos por parte dos israelenses em Jerusalém oriental "afeta todos os aspectos da vida, ao mesmo tempo que provoca dramáticas consequências nos aspectos demográficos, históricos e culturais da cidade".
De acordo com Giacomelli, entre 1967 e 1999, por exemplo, Israel cancelou o documento de identidade de 6.264 palestinos em Jerusalém, afetando indiretamente mais de 25.000 pessoas, incluindo membros de uma mesma família. Desde 1996, quando Israel intensificou sua política residencial, cerca de 2.200 a 3.000 palestinos foram forçados a deixar a cidade ou viver no local ilegalmente, afirma o especialista.
Ainda de acordo com as Nações Unidas, os palestinos são alvos por parte de Israel de discriminação e de ações para destruir sua sociedade em todos os territórios ocupados.