São Paulo, 11 (AE) -O governador do Rio Grande do Sul, Olivio Dutra (PT), afirmou hoje que o decreto editado pelo governador Mário Covas, que cria salvaguardas contra a guerra fiscal, é uma medida válida de proteção da economia do Estado. Olívio disse ser preciso acabar com as medidas que ignoram o Confaz, um órgão onde o que não é aprovado por consenso não é válido. Ele defendeu o respeito aos espaços confederados e o direito de cada Estado deve tomar medidas para proteger suas economias.
O governador gaúcho não disse se vai adotar a mesma medida que Covas. Pelo que leu do decreto, Olívio acredita que o decreto tem o espírito de impedir que se retire do Estado recursos que devem ficar ali para gerar qualidade de vida para a população. O governador esclarece que, contra a Guerra Fiscal, o Rio Grande do Sul tem entrado com diversas Ações Diretas de Inconstitucionalidade contra diversos estados, entre eles São Paulo e Santa Catarina.
Olívio afirmou que o RS foi vitorioso nos casos da indústria automobilística, da farinha de trigo e de ave. Ele defendeu a adoção de um projeto industrial para o País que reconheça as diversidade de cada região, o que acabaria com a guerra fiscal. O governador disse que, em relação a Reforma Fiscal, é fundamental que ela possa acontecer tanto para simplificar a questão dos tributos, como para fazer a justiça tributária no País, ou seja, quem tem mais para mais e quem tem menos, paga menos. Olívio participou hoje da abertura da Couromoda, em São Paulo.