São Paulo, 08 (AE) - Os grandes bancos nacionais e estrangeiros confirmaram participação na fase de pré-qualificação para a compra do Banespa, reforçando as expectativas de disputa acirrada no leilão de venda marcado para 16 de maio. As três maiores instituições privadas do Brasil, Bradesco, Itaú e Unibanco, os norte-americanos BankBoston e Citibank, o espanhol Banco Bilbao Vizcaya e o britânico HSBC (ex-Bamerindus) confirmaram hoje a entrega dos documentos de habilitação ao leilão, por meio das assessorias de imprensa.
Como o Banco Safra já havia anunciado a participação na fase de pré-qualificação, o Banespa tem oito interessados oficialmente confirmados. A lista, no entanto, pode ser maior. O prazo para entrega da documentação venceu hoje e o Banco Central
que poderia dar com exatidão os nomes, informou que não vai anunciar os candidatos, somente os habilitados.
O resultado sai no dia 29 de fevereiro. No entender do BC, "não faz sentido divulgar uma informação preliminar sobre instituições que apresentaram documentação ao Departamento de Organização do Sistema Financeiro do BC".
Pelas contas do mercado, pelos menos outras duas instituições poderiam estar de olho no sexto maior banco do País
o Banco Santander Central Hispano (BSCH) e o Bank of America. O presidente do ABN Amro, Fábio Barbosa, confirmou que não vai participar do leilão.
A perspectiva de disputa acirrada resultando num ágio elevado puxou o preço das ações do banco ontem. As ordinárias (aquelas com direito a voto) fecharam com alta de 2,78%, cotadas em R$ 55,50 por lote de mil ações. As preferências subiram 3,98%
negociadas por R$ 68,10 o lote de mil ações.
A única surpresa na lista certamente foi o Safra, de acordo com analistas, pois o patrimônio do banco não alcança o limite mínimo exigido de capacidade econômico-financeira de R$ 2 374 bilhões. O presidente da instituição já comunicou que o grupo vai utilizar o patrimônio das outras empresas da holding para completar o mínimo. O banco tem, por exemplo, participação na empresa de telefonia BCP.
O vice-presidente de finanças do Banco Bilbao Vizcaya, Miguel Burgos, disse que a instituição entregou a documentação em nome do BBVA Espanha, instituição internacional que controla o Bilbao Vizcaya no Brasil. Ele afirmou que por enquanto a instituição pretende operar sozinha no leilão, sem a formação de consórcio.
Ele acrescentou que a aquisição do Banespa traria uma sinergia e um crescimento muito rápidos para a instituição no País, observando que praticamente "não há duplicidade entre agências do Bilbao e do Banespa".
O vice-presidente do BankBoston, Alex Zornig, afirmou que a estratégia da instituição, caso vença o leilão de venda, será utilizar a rede do BankBoston para atender clientes com renda superior a R$ 4 mil. A rede do Banespa, que seria batizada de Banespa Fleet Boston, seria para clientes abaixo dos R$ 4 mil.