Número de suicidas pode chegar a 600 em Uganda19/Mar, 14:44 Kampala, 19, (AE-AP) -- A Polícia de Uganda revelou que o número de mortos no suicídio em massa dos integrantes de uma seita apocalíptica ocorrido ontem (18) pode passar de 600 afirmou hoje o porta-voz da polícia Eric Naigambi. Até o momento, foram confirmadas 235 mortes no incêndio que arrasou o templo do chamado "Movimento para a Restauração dos Dez Mandamentos de Deus". Os seguidores da seita colocaram fogo no templo, situado em Kanungu, a cerca de 320 quilômetros da capital Kampala, enquanto rezavam e entoavam hinos religiosos. Segundo o porta-voz da polícia, os corpos carbonizados dificilmente poderão ser identificados pelos médicos. "Os cadáveres estão uns em cima dos outros; é um espetáculo horrível", disse Naigambi. Antes de colocar gasolina e outros produtos inflamáveis e atear fogo, os seguidores da seita fecharam portas e janelas do templo. Segundo um dos investigadores, não se pode excluir a hipótese de que o líder da seita tenha iniciado o incêndio. No entanto, a polícia está trabalhando com a hipótese de suicídio coletivo. A cifra inicial de 250 mortos foi informada pela polícia em função do número de homens adultos membros da seita. No entanto, habitantes da cidade informaram que no templo havia cerca de 600 pessoas, inclusive mulheres e crianças aparentemente atraídas pelo anúncio da seita de que haveria uma aparição da Virgem Maria.