Nova redução da tarifa surpreende usuários


Danilo MarconiReportagem Local
Danilo MarconiReportagem Local

Londrina – O prefeito Alexandre Kireeff (PSD) assinou ontem decreto 729/2013 autorizando nova redução da tarifa do transporte coletivo em Londrina, a segunda no prazo de um mês. A partir de hoje a passagem do ônibus convencional passa de R$ 2,35 para R$ 2,30 - já o valor do Psiu cai de R$ 3,10 para R$ 3,05.
No início de junho a tarifa foi reduzida em R$ 0,10, acompanhando decreto federal que concedia isenções do PIS e Cofins para empresas que exploram o transporte coletivo. Esta nova redução é resultado da isenção do ICMS do óleo diesel, garantida por lei estadual.
A definição partiu de um estudo técnico elaborado pela Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU). "A CMTU recebeu cópia da primeira nota do óleo diesel com desconto em razão da isenção do ICMS. Após estudo, chegou a esse valor", explicou o prefeito Alexandre Kireeff.
A nova redução pegou usuários de surpresa. "Não sabia, gostei na notícia. De certa forma, voltou ao preço que era", comentou a operadora de caixa Renata Alves. "As reduções totalizam 15 centavos. Eu que pego dois ônibus por dia vou notar a diferença no final do mês. Vão ser quase R$ 10 de economia", comemorou o vigilante Eniyo Silvério.
Por outro lado, usuários reclamam que a discussão não deve se liminar apenas ao valor da tarifa. "Acho válida a redução, mas (o poder público) tem que ver também a qualidade dos ônibus e do Terminal Urbano", cobrou o pedagogo Amauri Vieira.
"Outro dia esperei uma hora pelo ônibus. Além disso, não posso generalizar, mas os motoristas correm muito, freiam bruscamente, chegam até a andar com a porta do coletivo aberta", denunciou a técnica em enfermagem Sandra Pereira.
"É boa a redução, mas acho que estudante não deveria pagar. A gente sequer tem salário. Além do mais o serviço é público", observou a estudante Anelise Kranich. Ela acompanhava uma amiga na fila para comprar bilhete antecipado. "Vou aproveitar para comprar amanhã (hoje) com novo preço, assim economizo", disse Karina Esdras.
Kireeff concorda com boa parte das críticas. "Concordo. Também acho que o serviço tem que melhorar e estamos trabalhando para isso. Em 30 ou 60 dias vamos apresentar ações de curto e médio prazo, melhorias estruturantes. O objetivo é manter a tarifa barata, diminuir os deslocamentos dos ônibus, não quer dizer que os veículos vão andar mais rápido, mas vamos melhorar o fluxo nas ruas, proporcionando maior conforto aos usuários", explicou.
O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Londrina (Metrolon), por meio de nota, aprovou a redução da tarifa desde que seja feita por meio de desoneração de tributos federais, estaduais ou municipais. No entanto, o sindicato alerta que continua discutindo o valor do serviço com o município. No entendimento do Metrolon, os atuais custos do sistema "não são cobertos pelo preço praticado atualmente" em Londrina.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo