Haifa, 3 (AE-Ansa) - O túmulo do xeque Ezzedin al-Qassam, um combatente palestino dos anos 30 cuja figura inspira os militantes do Hamas, foi profanado no domingo, no cemitério de Nesher, em Haifa, por desconhecidos que a cubriram com verniz roxo e desenharam cruzes ao redor. Uma rádio militar israelense recebeu uma chamada telefônica de um grupo que se autodenominou "amigos de Baruch" reivindicando a profanação da túmulo.
Londres, 3 (AE-Ansa) - Um poderoso míssil que os russos estão construindo com financiamento chinês está alarmando os especialistas britânicos em armamentos, segundo os quais o novo instrumento podería deixar indefesos os aviões ocidentais. O novo míssil, que poderá estar no mercado no ano 2005, será duas vezes mais rápido do que os utilizados pelos países da Otan, e terá um raio de alcance três vezes superior, de acordo com Paul Beaver, da revista especializada Jane´s.
Montevidéu, 3 (AE-Ansa) - José Maria Silva, autor de algumas das mais conhecidas fotos de Carlos Gardel, morreu no domingo em Montevidéu aos 102 anos de idade, segundo informações de seus familiares. Silva conheceu Gardel em 1917, mas as fotos do famoso cantor de tangos foram tiradas entre 1933 e 1935 todas elas no estúdio do fotógrafo, em uma rua no centro da capital uruguaia. Silva nasceu em Pontevedra, na Galícia, no dia 29 de setembro de 1897, e com seis anos de idade foi morar no Uruguai.
Havana, 3 (AE-Ansa) - Um grupo católico porto-riquenho viajou a Cuba com o objetivo de impulsionar a tradional festa dos Reis Magos, uma celebração praticamente extinta na ilha, segundo informações de religiosos. A primeira cerimônia pública do grupo
chamado "Juana Díaz", foi caracterizar três de seus membros como Melquior, Gaspar e Baltasar para participar de uma missa na catedral de Havana, realizada pelo cardeal cubano Jaime Ortega. Um porta-voz do grupo porto-riquenho explicou que seu objetivo é promover a fé e as tradições católicas em todo o mundo. Os integrantes do "Juana Díaz" estiveram em Nova Yorque e São Domingo, na Repúblíca Dominicana.
Washington, 3 (AE-Ansa) - O presidente norte-americano, Bill Clinton, admitiu em uma entrevista à NBC que podería voltar à vida pública, como candidato ao Congresso pelo Estado de Arkansas. Clinton lembrou que John Quincy Adams, o sexto presidente norte-americano, depois de deixar a Casa Branca, passou a integrar a Câmara. Clinton que terá 54 anos quando deixar a Casa Branca, disse que nunca pensou seriamente em ser candidato a uma cadeira no Congresso. Mas não descartou a idéia. "Não estou preocupado com meu futuro, encontrarei algo útil para fazer", disse Clinton.