Nicéa acusa Pitta de envolvimento em esquema de corrupção11/Mar, 0:17 São Paulo, 11 (AE) - A primeira-dama do município de São Paulo, Nicéa Pitta, denunciou esquemas de corrupção envolvendo políticos e o marido, o prefeito Celso Pitta (PTN), em entrevista exibida ontem (10) nos programas ''Globo Repórter'' e ''Jornal Nacional'' , da Rede Globo de Televisão. Segundo Nicéa Pitta teria pago a vereadores para que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Máfia dos Fiscais na Câmara Municipal terminasse. A investigação foi interrompida em maio. Também teria dado dinheiro para que votassem contra o impeachment. Nicéa afirmou que os acordos tinham como intermediário o secretário de Governo, Carlos Augusto Meinberg. As negociações também envolveriam o presidente da Câmara, Armando Mellão (PMDB). Ela não soube precisar os valores pagos a cada vereador. "Pode saber que não era pouco porque eles são muito ambiciosos", ressaltou. De acordo com Nicéa, os vereadores criavam situações delicadas para a administração municipal. Depois, exigiam dinheiro para votar contra os projetos. "Não há dinheiro que chegue para eles." Nicéa disse que o secretário de Governo informava ao prefeito sobre as quantias a serem dadas. As somas eram obtidas, segundo ela, de empresas que mantinham contratos com a Prefeitura. Sobraram críticas também para o secretário de Saúde, Jorge Pagura. A primeira-dama disse ter visto documentos com tabelas de valores de remédios que seriam enviadas a laboratórios. Depois da compra, funcionários da secretaria ficariam com 25% dos valores recolhidos. Nicéa denunciou que Pagura estaria autorizando cirurgias plásticas na rede de saúde no Campo Limpo, zona sul, em troca de votos para a campanha eleitoral deste ano. O ex-prefeito Paulo Maluf (PPB) foi citado várias vezes pela primeira-dama na entrevista. Nicéa assegurou que ele continua interferindo na administração. As desavenças com Pitta fariam parte de um jogo de cena. "Não tiveram nenhum rompimento", garantiu. "É só uma estratégia." Houve alguns atritos entre os dois, mas o investidor Naji Nahas teria mediado o fim das desavenças. Outra denúncia da primeira-dama atinge o presidente do congresso, senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), que teria pressionado Pitta a pagar dívidas da Prefeitura com a construtora OAS. Um dos genros de ACM está entre os diretores da empresa. A intermediação era feita pelo ex-senador Gilberto Miranda (PFL-AM). Segundo assessores do Palácio das Indústrias, as declarações de Nicéa seriam uma forma de vingança contra o ex-marido. De acordo com os assessores, o prefeito move uma ação de separação litigiosa na 3.ª Vara da Família. O processo está correndo há cerca de um mês.