PERFIL -

Mulheres morrem mais pela Covid-19 em Londrina

Município passou da marca de 100 óbitos pela doença neste domingo (19), com o falecimento de uma mulher de 50 anos

Micaela Orikasa - Grupo Folha
Micaela Orikasa - Grupo Folha

Neste domingo (19), a secretaria municipal de Saúde divulgou a morte de número 101 pelo novo coronavírus em Londrina. A vítima era uma mulher de 50 anos, que estava internada em um hospital filantrópico. No sábado (18), quando o município chegou à marca de 100 mortes pela doença, a vítima também era do sexo feminino. 

Analisando a incidência da covid-19 em Londrina, nota-se que ela vitima mais mulheres
Analisando a incidência da covid-19 em Londrina, nota-se que ela vitima mais mulheres | Gustavo Carneiro
 



 


Analisando o perfil de todas as pessoas que perderam a vida em Londrina, em decorrência da doença, há uma pequena diferença entre o sexo masculino e feminino, mas os registros mostram um número maior de mulheres. Do total de óbitos, 53 eram mulheres e 48 homens. 



 

Em relação à idade, a maioria é de idosos. Das vítimas, 82 tinham 60 anos ou mais, 16 entre 40 e 59 anos e dois na faixa dos 20 aos 39 anos. Entre as mulheres, os dados mostram que a maioria (14 vítimas) tinha entre 80 e 89 anos.   


O que há em comum nos registros de óbitos são as comorbidades. De acordo com o boletim epidemiológico, 50% dos pacientes tinham diabetes e doenças cardiovasculares, hipertensão arterial (33%), doença pulmonar crônica (13%) e insuficiência renal crônica (13%), entre outras.  


Segundo levantamento da FOLHA, do total de falecimentos apenas seis pessoas não tinham comorbidades. O paciente mais jovem a perder a vida em Londrina por causa da Covid-19 foi um homem de 30 anos, que faleceu no dia 11 de junho, e outras duas vítimas tinham idade mais avançada, com 95 anos. 


Um artigo divulgado pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos Estados Unidos, considerando as análises feitas entre fevereiro e abril de 2020 naquele país, reforça que a idade igual ou acima de 65 anos e a presença de doenças crônicas estão associadas a um risco maior de resultados graves. Sendo assim, as complicações são menos comuns entre indivíduos com menos de 18 anos. Em Londrina, nenhuma morte de criança foi registrada, mas já são 40 casos registrados na faixa etária de 0 a 9 anos até o boletim de domingo (19). 

 

O texto do CDC, assinado por vários autores, tem como base o relatório de vigilância de casos do novo coronavírus e aponta que as hospitalizações são seis vezes maiores entre os pacientes com uma condição de saúde subjacente relatada (45,4%) e que as mortes foram 12 vezes maiores entre os pacientes com comorbidades. 


Novos leitos

No boletim atualizado, Londrina tem 33 novos casos. Desde o início da pandemia, 2.403 pessoas já foram infectadas e neste momento, há 381 casos ativos, sendo 326 em isolamento domiciliar e 55 internados (25 em UTI e 30 em enfermaria). 


Em transmissão on-line neste domingo (19), o prefeito Marcelo Belinati anunciou uma nova etapa de ampliação de leitos. De acordo com ele, a partir desta segunda (20) a cidade terá novos 57 leitos, sendo 32 de UTI e 25 de enfermaria. Hoje, a ocupação de leitos de UTI/Covid-19 no município é de 51%. 


"Estamos tendo um aumento nos atendimentos diários na UPA Sabará. Passamos de 125 pessoas/dia no mês de junho para 248 em julho. Nem todas as pessoas estão com coronavírus, mas apresentam problemas respiratórios e se enquadram em casos suspeitos. Estamos testando todas as pessoas que têm síndrome gripal, após passarem por avaliação médica", disse. (Colaborou Pedro Marconi)

 



Serviço: 

Para dúvidas e informações, ligue para o Disque-Coronavírus 0800 400-1234. As ligações sãos gratuitas e podem ser feitas de segunda a sexta, das 7h às 22h, ou fale pelo Chatbot (bate-papo on-line) em qualquer dia e horário. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo