|
  • Bitcoin 125.905
  • Dólar 5,0741
  • Euro 5,2058
Londrina

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

m de leitura Atualizado em 12/04/2021, 12:56

MP sugere que prefeitura está omitindo dados em boletins do coronavírus

Promotoria de Saúde expediu recomendação para que prefeito e secretário deem explicações e promovam mudanças

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 12 de abril de 2021

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante
Imagem ilustrativa da imagem MP sugere que prefeitura está omitindo dados em boletins do coronavírus Imagem ilustrativa da imagem MP sugere que prefeitura está omitindo dados em boletins do coronavírus
|  Foto: N.Com
 

O MP-PR (Ministério Público do Paraná) emitiu recomendação administrativa pedindo que a Prefeitura de Londrina altere a forma como é organizado e divulgado o boletim epidemiológico relacionado ao coronavírus. A promotoria de Saúde Pública, que tem a promotora Susana de Lacerda como titular, acusa o município que ocultar dados importantes no informe. O pedido foi dirigido ao prefeito Marcelo Belinati e ao secretário municipal de Saúde, Felippe Machado. 

O Ministério Público sugere que constem no boletim, além das taxas de ocupação de leitos, a quantidade de vagas do SUS (Sistema Único de Saúde), de enfermaria e de UTI exclusivos para o tratamento da Covid-19 efetivamente disponíveis; a demanda reprimida aguardando vaga de internação; e explicações sobre os conceitos de taxa de ocupação, de leitos disponíveis e de demanda reprimida em linguagem de fácil compreensão. 

A promotora sustenta que, atualmente, os informes vêm sendo publicados apenas com o número de pacientes internados, sem a quantidade de leitos efetivamente disponíveis, nem a fila de espera, o que o MP considera serem dados “muito relevantes sobre o atual momento epidemiológico, inclusive para que a população possa ter compreensão da gravidade da situação e conscientize-se quanto à necessidade de comprometimento com as medidas de prevenção individuais.” 

Prefeito e secretário têm até terça-feira (13) para responder e apontar as providências adotadas. A FOLHA questionou o Núcleo de Comunicação da prefeitura se haverá manifestação do município quanto às alegações, entretanto, não obteve retorno.