São Paulo, 08 (AE) - Promotores do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) denunciaram hoje a vereadora Maria Helena (PL), de 52 anos, e seu filho Paulo Rogério Pereira Neme, de 35, por porte ilegal de armas. Em agosto, foram apreendidas nove armas na casa onde vivem os dois, além de carregadores e munição, de uso restrito das Forças Armadas. A parlamentar encontra-se presa.
A investigação da polícia terminou na semana passada. Se a denúncia do Ministério Público for aceita pelo juiz, será instaurado processo e tanto a vereadora quanto o filho passam a ser réus. Eles também são suspeitos de formação de quadrilha, peculato e coação. Comissão - A Comissão Processante de Maria Helena (PL) realiza amanhã, na Câmara Municipal, a primeira reunião oficial de trabalho. A missão inicial será a definição de datas para a convocação de testemunhas, entre elas a própria vereadora. Também será discutido o planejamento do trabalho a ser executado pelos sete membros do grupo.
A vereadora recebeu a notificação de que está sendo processada na Câmara e até o início da próxima semana deve apresentar a defesa prévia. A partir daí, a comissão terá cinco dias para acatar ou não a defesa. Se for recusada, começa a análise de documentos e convocação de testemunhas. "Esta semana devemos trabalhar mais nas análises", disse o presidente da comissão, Paulo Frange (PTB).