Movimentos de esquerda e de direita se reúnem no Calçadão


Isabela Fleischmann - Grupo Folha
Isabela Fleischmann - Grupo Folha

Um dia depois da soltura do ex-presidente Lula, pequenos grupos distintos foram expressar seus valores políticos no Calçadão de Londrina. Na manhã deste sábado (9), manifestantes do movimento Lula Livre dividiram espaço com o grupo direitista contrário à decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). 


Movimentos de esquerda e de direita se reúnem no Calçadão
Reprodução/Whatsapp
 




A soltura de Lula repercutiu qualquer fosse o posicionamento político. O nome do ex-presidente foi citado de um lado, com faixas de "Lula Livre, Moro na prisão e nova eleição" e de outro, "Lula, o assassino de Celso Daniel". 





O STF considerou na noite de quinta-feira  (7) que só é possível prender após o trânsito em julgado. Como a condenação de Lula é em segunda instância, a Justiça concedeu a liberdade do ex-presidente nesta sexta-feira (8).


No Calçadão, os manifestantes do movimento "Lula Preso" fizeram um ato em repúdio ao STF. Eles pedem que a prisão em segunda instância seja revista para que condenados não sejam liberados. A dicotomia provocou embates. Um vídeo que circula nas redes sociais produzido por uma participante do movimento Direita Paraná escracha os militantes que comemoravam a soltura de Lula.


Já membros do movimento Lula Livre afirmaram que devem fazer um boletim de ocorrência pela incitação à violência que um participante do movimento direitista teria feito. O ato da esquerda foi uma despedida do "Lula Livre", porque o nome da militância já não faria mais sentido, conforme explicou Maria Giselda de Lima Fonseca, vice-presidente do PT em Londrina. Contudo, o movimento continuará buscando a anulação do processo de julgamento do ex-presidente. 



Continue lendo


Últimas notícias