Mortes pelo novo coronavírus chegam a 600 no Paraná

Crescimento do número de óbitos foi de 246% nos últimos 30 dias Crescimento do número de óbitos foi de 231% nos últimos 30 dias

Mie Francine Chiba - Grupo Folha
Mie Francine Chiba - Grupo Folha

A curva de mortes pelo novo coronavírus no Estado vem crescendo de forma acentuada nas últimas semanas. Só nos últimos 30 dias, os óbitos causados pela Covid-19 cresceram 246%, fazendo com que o número de mortos chegasse a 600 nesta segunda-feira (29).



Mortes pelo novo coronavírus chegam a 600 no Paraná
AEN
 



Para Maria Goretti David Lopes, diretora de Vigilância e Atenção em Saúde da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), o crescimento acentuado dos óbitos em decorrência do coronavírus mostra que a pandemia está avançando no Estado, e que a tendência é que essa curva cresça ainda mais.




Nesta segunda-feira (29), os promotores de Justiça do MPPR (Ministério Público do Paraná), responsáveis pela área de Proteção à Saúde Pública nas quatro macrorregiões do Paraná (Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel) ajuizaram uma ACP (ação civil pública) com um pedido que o governo estadual adote medidas mais restritivas em função do agravamento da pandemia, entre elas o lockdown, em pelo menos duas macrorregiões do Estado - Leste e Oeste -, onde o cenário é mais preocupante. A sugestão é que a medida de restrição ou ou bloqueio pleno de atividades não essenciais valha por 15 dias, prorrogáveis enquanto houver necessidade sanitária.


A ACP também pede a invalidação de atos normativos do Estado que autorizaram o funcionamento de atividades consideradas não essenciais enquanto durar o estado de emergência decretado em função da pandemia do coronavírus. Requer, ainda, que o Estado se abstenha de adotar novas medidas com o mesmo propósito sem antes apresentar justificativa técnica fundamentada em evidências científicas e em orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e do Ministério da Saúde.


A diretora de Vigilância e Atenção em Saúde da Sesa disse considerar coerente o pedido de lockdown em pelo menos duas regiões do Estado, em função do agravamento da pandemia do coronavírus.


Em nota, a assessoria de imprensa do Governo Estadual afirmou que "está elaborando uma série de medidas para conter o avanço da Covid-19". "As medidas estão sendo discutidas em diversas instâncias do Executivo e serão apresentadas aos demais poderes do Estado", continua a nota. A previsão é que as decisões sejam divulgadas já nesta terça-feira (30). 


Maior parte dos falecidos apresentava comorbidade

Segundo dados da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), o índice de mortalidade (por 100 mil habitantes) pela doença no Estado é de 5,2. A média de idade dos que morreram em decorrência do coronavírus é de 68,2 anos. A maior parte dos falecidos apresentava algum tipo de comorbidade (63%). Entre as mais comuns estão a hipertensão arterial sistêmica (25,07%) e a diabetes mellitus (17,20%).


O Estado acumula no momento 21.089 casos confirmados de coronavírus. Nas últimas 24 horas, foram registrados 573 novos casos e 14 mortes pela Covid-19.


Os óbitos informados pela Sesa nesta segunda-feira são referentes a cinco mulheres e nove homens, com idades de 33 a 90 anos. Eles faleceram entre os dias 23 e 29 de junho e residiam em Curitiba (5), Foz do Iguaçu (2), Cascavel (1), Itaguajé (1) Mandaguaçu (1), Maringá (1), Paranaguá (1), Presidente Castelo Branco (1) e Sarandi (1).




Em Londrina, a Secretaria Municipal de Saúde reportou mais duas mortes pelo novo coronavírus - um homem de 63 anos e uma mulher de 57. Ambos apresentavam comorbidades. Londrina agora soma 78 mortes causadas pelo vírus e 1.305 casos positivos - 11 a mais que no dia anterior. 


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo