|
  • Bitcoin 122.108
  • Dólar 5,0643
  • Euro 5,2241
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 22/07/2022, 22:07

Morre em Cuiabá Lauro Pepiliasco

Engenheiro foi presidente da Codel em Londrina e era marido da artista plástica Vanda Pepiliasco condenada por morte de empregada doméstica

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 22 de julho de 2022

Patricia Maria Alves - Editora
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Morreu na cidade de Cuiabá, capital do Mato Grosso, no último dia 15 de Julho, o engenheiro civil Lauro Pepiliasco. O empresário foi presidente da Codel - Instituto de Desenvolvimento de Londrina entre os anos 1982 a 1983 indicado pelo então prefeito e concunhado José Antônio Del Ciel. 

Imagem de Lauro Pepiliasco em audiência de julgamento de Vanda Pepiliasco - Maio de 2015 Imagem de Lauro Pepiliasco em audiência de julgamento de Vanda Pepiliasco - Maio de 2015
Imagem de Lauro Pepiliasco em audiência de julgamento de Vanda Pepiliasco - Maio de 2015 |  Foto: Reprodução Video-depoimento 2015
  

Segundo Fausto Migueis, advogado da família, Pepiliasco faleceu de complicações de um câncer na coluna, doença que enfrentava há vários anos. 

Lauro Pepiliasco era marido de Vanda Pepiliasco, a artista plástica condenada pelo assassinato de Cleonice de Fátima Rosa, empregada doméstica que trabalha na residência da família em 1993. 

Durante a reportagem para a primeira temporada do audiodocumentário da Folha de Londrina, Banco dos Réus, a família havia enviado a informação que não se manifestaria porque o estado de saúde de Lauro já estava bastante grave. 

O crime do triplex

Cleonice de Fátima Rosa trabalhava como faxineira e camareira no apartamento do casal Vanda e Lauro Pepiliasco, onde também residiam com seus dois filhos, Leopoldo e Leonardo, e também Luzia Colombo, responsável pela cozinha. Rosa foi encontrada morta, com o pescoço atingido por uma facada. O corpo foi encontrado por Colombo na escadaria de acesso ao apartamento da família Pepiliasco na manhã do dia 10 de julho de 1993.

As investigações se deram em torno dos cinco personagens que residiam no apartamento 1.102 de um edifício na rua Goiás, no centro de Londrina: a artista plástica Vanda, seu marido Lauro, o filho do casal Leonardo e a cozinheira Luzia Colombo.  

O caso foi um dos mais longos processos da 1ª Vara Criminal de Londrina. A última movimentação ocorreu no dia 30 de outubro de 2020, quando a sentença se tornou definitiva e condenou a artista plástica Vanda Pepiliasco pela morte de Cleonice. 

A série

Produzida pela FOLHA, a série de podcasts  "Banco dos Réus" é composta por documentários que vêm trazendo aspectos de cinco crimes que deixaram cicatrizes profundas na memória de toda a cidade. Ouça aqui: