Quito, 12 (AE-AP) - O presidente do Equador, Jamil Mahuad, pressionado pela oposição, nomeou interinamente um general como o ministro da Defesa, aparentemente com a intenção de dar às Forças Armadas maior participação no governo.
O general Carlos Mendoza, chefe do Comando das Forças Armadas, foi nomeado no lugar de José Gallardo, segundo o governo.
A renúncia de Gallardo é a primeira aceita pelo presidente após uma demissão coletiva do gabinete, há três dias, por Mahuad durante uma dramática apresentação quando anunciou o plano de dolarização da economia.