Brasília, 1 (AE) - A Fundação Ezequiel Dias (Funed), que administra o laboratório oficial da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, recebeu uma missão do Ministério da Saúde. Com verba de R$ 11 milhões aportada pelo ministro da Saúde, José Serra e outros R$ 6 milhões a R$ 8 milhões, do governo de Minas Gerais, a Funed vai construir uma nova fábrica para produzir 1,5 bilhão de unidades de 82 medicamentos genéricos (comprimidos, frascos e injetáveis), que compõem a farmácia básica usada em todo o Brasil.
Isso significa que a atual produção de 450 milhões de 42 medicamentos similares será triplicada e poderá, além de atender a todos os municípios mineiros, como ocorre atualmente, ainda suprir a demanda de outros estados brasileiros. Hoje, a Funed fabrica 42 medicamentos similares. A diferença entre o similar e o genérico é que o primeiro tem o mesmo princípio ativo do original, porém o prazo de reação e efeito no organismo pode ser diferente. Já o genérico é exatamente igual ao medicamento original, obedecendo o tempo de efeito e reação.
Segundo a diretora de Produção Farmacêutica da Funed, Maria Angélica Mota Campos, a intenção da Fundação é transformar todos os similares em genéricos, quando a nova unidade entrar em funcionamento, dentro de 18 meses. A atual, então, deverá ser desativada.
Inicialmente, a nova fábrica produzirá quatro medicamentos genéricos, três cardiovasculares e contra hipertensão (Captobril, Propanolol e Hidroclorotiazida) e um para o controle de diabetes (Glibenclamida). A Fundação não soube informar o custo mensal da produção dos remédios, que serão distribuídos gratuitamente à população. As matérias-primas são todas importadas. Mas, de acordo com a assessoria da diretoria da entidade, a Fundação procura reduzir custos por meio de contatos com novos fornecedores da Índia e da
China, que oferecem insumo a custos mais baixos. Os negócios estão em andamento, por isso o órgão não tem idéia da economia a ser gerada com a troca de fornecedores.
A diretoria da Funed procura o local para a instalação da fábrica, que deverá ficar na Região Metropolitanan de Belo Horizonte. O financiamento federal foi concedido por meio do Programa de Farmácia Básica e AIDS, do Ministério da Saúde.