Um levantamento estatístico inédito, com dados unificados dos quatro países do Mercosul (Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina), mais o Chile e a Bolívia, será divulgado até 2003.
O Censo do Mercosul, como é chamado o trabalho, vai juntar os dados dos recenseamentos realizados nos países integrantes desse grupo.
Equipes técnicas de todos os países envolvidos trabalharam na unificação dos questionários para que seja possível ter informações comuns: população, número de domicílios, sexo, educação e, principalmente, atividade econômica.
‘‘Isso vai permitir ter para o conjunto desses países informações demográficas, como já temos hoje informações econômicas unificadas’’, afirmou Alicia Bercovich, coordenadora do Comitê do Censo.
O Brasil foi o único dos seis países a realizar o censo já em 2000. Argentina e Bolívia planejam recensear suas populações no ano que vem, e Paraguai e Chile, em 2002.
O Uruguai deverá oferecer uma espécie de projeção de dados a partir de seu último censo, realizado, segundo Bercovich, em 1996.
‘‘O ideal seria que os levantamentos para o Censo do Mercosul fossem simultâneos. Mas, já que não foi possível, terá também um lado bom: um país poderá ajudar outro. Acaba sendo saudável’’, afirmou Bercovich.
Atraso Problemas encontrados para concluir a coleta de dados obrigaram o IBGE a estender o censo por todo o mês de novembro em algumas áreas do país, incluindo o Paraná. O objetivo é conseguir informações referentes a uma população que ainda não foi recenseada e que representa aproximadamente 4,75% do total estimado para o País. (Agência Folha)