São Paulo - O menor A.L.F., de 15 anos, acusado de matar um estudante em Lorena, a 185 quilômetros de São Paulo, se apresentou à polícia anteontem à noite e confessou o crime. ''Ele contou que discutiu com Wagner César de Carvalho, de 14 anos, foi até um colega e tomou emprestada a arma. Depois voltou à escola, pulou o muro e matou o estudante na frente de colegas e professores'', disse o delegado Wilson de Moraes, que procura quem emprestou a menor. Wagner foi morto com um tiro na cabeça, pelo colega da 7 série, na escola estadual professor Joaquim Ferreira Pedro.
Os adolescentes estavam se desentendendo há alguns meses e o motivo da briga teria sido o empréstimo de uma borracha, contaram amigos e colegas. ''Ele (Wagner) sempre falava pra gente que era ameaçado. O começo da briga foi por causa de uma borracha que um tinha tomado emprestada do outro'', contou o adolescente Jhonatan Vitoriano.
A.L.F. foi ouvido na Vara da Infância e Juventude no Fórum de Lorena e deverá ser encaminhado a uma unidade da Febem. Wagner foi enterrado ontem no cemitério municipal de Lorena. ''Eu quero que ele pague pelo que fez. Ele tirou a vida do meu filho e isso pode acontecer com qualquer outra criança'', disse a mãe do adolescente, Ana Maria de Carvalho Pinto, durante o velório. ''Eu estou arrasado. Não dá pra acreditar'', disse o amigo da família Getúlio Gonçalves.
A dona de casa Inês Marques contou que o filho está com medo de voltar à escola. ''Ele quer mudar de escola. Agora a gente fica com medo''.