Medeiros diz que Amadeo não contestou números sobre mínimo2/Mar, 16:46 Brasília, 02 (AE) - O deputado Luiz Antônio de Medeiros (PFL-SP) afirmou há pouco, à saída do Ministério da Fazenda, que o secretário de Política Econômica, Edward Amadeo, com o qual se encontrou, não contestou os números por ele apresentados, no estudo em que oferece sugestões para o financiamento do reajuste do salário mínimo para 177 reais. Segundo o deputado, que foi ao ministério na qualidade de representante da comissão criada pelo PFL para examinar o reajuste do mínimo, até maio, não há tempo para implementar todas as medidas por ele sugeridas no estudo. Neste trabalho, Medeiros propõe, entre outras medidas, o aumento do esforço de cobrança dos débitos previdenciários de empresas inadimplentes. Ele acha que é possível aumentar de atualmente 2% para 5% o recolhimento da dívida das empresas inadimplentes com a Previdência. Essa dívida é hoje estimada em R$ 70 bilhões. O deputado defendeu também o fim das renúncias fiscais previdenciárias e da perda de receita com o Simples.