Cuiabá, 26 (AE) - A Secretaria de Estado de Saúde do Mato Grosso confirmou hoje duas mortes provocadas por febre amarela silvestre no Estado. Os dois homens, um de 48 anos e o outro de 16 - ambos trabalhadores rurais -, morreram dia 1º, no Pronto-Socorro de Cuiabá, depois de ter sido infectados em municípios que fazem divisa com Goiás, cujo surto da doença estaria relacionado à construção do lago da Usina Hidrelétrica de Serra da Mesa, naquele Estado.
A relação entre o surto, a usina e a própria natureza, preocupa as autoridades de saúde do Mato Grosso. Com o aumento das notificações de registro da doença no Estado, a Secretaria de Saúde aconselha a população a procurar os postos de saúde para tomar a vacina contra a febre amarela, que é a única forma de prevenção. Desde o início do ano, cerca de 700 mil pessoas foram vacinadas.
Por enquanto, ao contrário de Campinas (SP) e Goiânia (GO) - onde houve o registro de dois casos de morte após a vacinação - não ocorreu nenhuma suspeita de a vacina ter provocado a morte de alguém no Estado.
Apesar das duas notificações de febre amarela silvestre, o coordenador da Vigilância Epidemiológica do Estado, Euze Carvalho, descarta a possibilidade do surgimento variedade urbana, erradicada do Brasil desde 1942.