Marcos Cintra anuncia apoio do PL à criação de CPI na Câmara Municipal19/Mar, 18:48 Por Rosa Costa Brasília, 19 (AE) - O presidente do PL em São Paulo, deputado Marcos Cintra, anunciou hoje o apoio do partido à criação de uma CPI na Câmara Municipal para investigar as denúncias feitas pela primeira-dama de São Paulo, Nicéa Pitta. Cintra disse que a decisão foi acertada no último sábado, pelos membros da Executiva Nacional. Amanhã (20), a questão será fechada no encontro marcado para as 14 horas com os representantes do diretório regional. "Discutimos os prós e contra e constatamos que o PL não pode se omitir nesse caso", argumentou o deputado. Segundo ele, diante de uma questão fechada, o Regimento do PL não deixa outra alernativa a seus filiados senão a de seguí-la. Para Marcos Cintra, candidato à prefeitura de São Paulo, o PL não podia ignorar o apoio à CPI manifestado por 80% da população do município. Na sua avaliação, os fatos denunciados por Nicéa não apresentam nenhuma novidade, mas crescem de importância - e consequentemente da necessidade de apurá-los a fundo - tendo em conta o fato de terem sido expostos pela ex-mulher do prefeito Celso Pitta. "O caso da denunciante é muito específico", alegou. O deputado lembrou que dos cinco vereadores do PL - o sexto filiado, a vereadora Maria Helena, está suspensa - dois apoiam a criação da CPI enquanto os outros três permancem ao lado de Pitta. Ele previu que, com o apoio de toda a bancada, serão obtidos os votos necessários para abrir a investigação na Câmara. Cintra defendeu que a CPI seja presidida um representante de seu partido. Temer - Já com relação à instalação da CPI na Câmara dos Deputados, o presidente da Casa, deputado Michel Temer (PMDB-SP) garantiu que não vai criar entraves para dificultar sua criação. Temer disse que é difícil prever se haverá ou não condições regimentais para sua criação. Ele explicou que as 226 assinaturas obtidas até agora apenas permitem a tramitação do pedido de criação da comissão. Para avançar com esse requerimento é necessário o apoio de mais 31 deputados, totalizando 257 votos. Se esse número - correspondente ao aval da maioria absoluta da Câmara - for obtido também em plenário, o pedido de criação da CPI passa a ser feito em caráter de urgência. Nesse caso, a comissão pode sair da "fila" que tem na frente 10 outras solicitações para instalar investigações na Câmara e finalmente ser concretizada. Para Temer, é importante que todas as denúncias sejam apuradas, mas desde que isso seja feito obedecendo às regras regimentais. Ele lembrou que, na Câmara, só podem funcionar cinco CPIs ao mesmo tempo. O deputado José Genoíno (PT-SP) reconheceu que ainda há um caminho a vencer para criar a CPI de Pitta, mas não crê que isso venha a inviabilizar a comissão. Segundo ele, a dificuldade em abrir uma investigação na Assembléia de São Paulo estimula aos deputado federais a apoiar uma CPI na Câmara.