Maceió, 01 (AE) - Subiu para cinco o número de crianças mortas com suspeita de cólera, em Alagoas, apenas no mês de janeiro. Ontem à tarde, Gabriel Gomes da Silva, de seis meses, morreu no Hospital de Doenças Tropicais (HDT), em Maceió, pouco após chegar de Murici, a 59 quilômetros da capital, onde outras duas crianças faleceram. Gabriel não resistiu a desidratação provocada por uma forte diarréia e morreu nos braços da mãe.
A Secretaria Estadual de Saúde reconhece que as crianças estavam com diarréia, mas só vai se pronunciar depois de concluída a investigação epidemiológica. O secretário estadual de Saúde, Jurandir Boia, que vinha dizendo que a doença estava sob controle, agora não descarta a possibilidade de um surto. Essa possibilidade já havia sido aventada por técnicos do Laboratório Central (Lacen), responsáveis pelos laudos sobre o quadro da doença no Estado.
Desde que a situação da cólera se agravou, técnicos da Lacen e da Secretaria Estadual de Saúde divergem sobre a questão. Somente depois de várias informações desencontradas, o secretário Boia decidiu centralizar a divulgação dos dados. De acordo com o último boletim epidemilógico, haviam sido notificados 99 casos. Desse total, 54 foram confirmados e 29 continuam sob suspeita. Para conter o avanço do cólera, equipes de saúde estão nos municípios atingidos pela doença.