Lucy e Geisel eram primos em terceiro grau3/Mar, 16:09 Por Roberta Jansen Rio, 03 (AE) - Lucy Markus e Ernesto Geisel eram primos em primeiro grau e sempre flertaram; mas só se casaram em 1940, quando o ex-presidente tinha 32 anos. "Talvez tenha casado um pouco tarde, mas era preciso esperar que ela crescesse", explicou, em entrevista concedida à Fundação Getúlio Vargas (FGV) para o livro ''Ernesto Geisel'', lembrando que Lucy era dez anos mais nova que ele. Lucy era professora primária, formada em Cachoeiro (RS), vizinha a Bento Gonçalves, onde nasceu Geisel. O namoro só se tornou oficial quando Lucy, depois de formada, veio para o Rio, acompanhada de outras primas, e passou a sair com Geisel, que morava na cidade. "Aí, tivemos um contato mais cerrado de família, passeávamos muito, e chegamos à conclusão de que nos amávamos e devíamos casar", contou o ex-presidente aos pesquisadores da FGV. Geisel esclareceu aos pesquisadores quais eram os termos do namoro. "Nosso namoro foi bem diferente dos de hoje", explicou. "Foi um namoro sério, e com a melhor das intenções, para chegar ao casamento; as liberdades não passavam além dos beijos." Os dois noivaram em julho de 1939 e, no início do ano seguinte, estavam casados. O primeiro filho do casal, Orlando, nasceu dez meses depois do casamento, em novembro. Amália Lucy nasceria cinco anos depois. Lucy parou de lecionar tão logo se casou, passando a acompanhar o marido que, em função da carreira militar, era sempre transferido de cidade. Em 1956, a família foi morar em Quintaúna (SP), onde Geisel assumiu o posto de comandante do 2.º Grupo de Canhões Antiaéreos. No dia em que o ex-presidente comemorava o primeiro ano no posto, o filho Orlando, aos 17 anos morreu num acidente: ao tentar atravessar uma linha de trem de bicicleta, foi pego por uma composição. Ao longo de toda a carreira do marido, que chegou à Presidência da República em 1974, Lucy foi uma companheira muito discreta. Pouco se sabia da vida particular dela. Ela esteve ao lado de Geisel até a morte dele, em setembro de 1996, vítima de câncer.