|
  • Bitcoin 121.481
  • Dólar 5,0538
  • Euro 5,2302
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 19/07/2022, 17:49

Londrina sedia Fórum de Enfrentamento à Violência contra a Mulher.

Um dos principais objetivos é instrumentalizar os municípios para o atendimento à mulher e para o enfrentamento à violência contra as mulher

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 19 de julho de 2022

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Na quarta-feira (20), às 9h, o Município de Londrina vai sediar o Fórum Regional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher. A atividade será na sede do  IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná), que fica na Rodovia Celso Garcia Cid, km 375, no Conjunto Ernani Moura Lima II (antigo Iapar).

Serão distribuídos materiais informativos para dar visibilidade ao tema, trazendo a rede de proteção e de enfrentamento à violência contra a mulher. Serão distribuídos materiais informativos para dar visibilidade ao tema, trazendo a rede de proteção e de enfrentamento à violência contra a mulher.
Serão distribuídos materiais informativos para dar visibilidade ao tema, trazendo a rede de proteção e de enfrentamento à violência contra a mulher. |  Foto: Divulgação/N.Com
 

O encontro tem como objetivo discutir e fortalecer as políticas públicas, os órgãos e os serviços voltados para o atendimento das mulheres e meninas que se encontram em situação de violência, além de sensibilizar a população para o assunto. “Um dos nossos principais objetivos é instrumentalizar os municípios para o atendimento à mulher e para o enfrentamento à violência contra as mulheres, em especial, nos municípios de pequeno porte, que são aqueles com até 20 mil habitantes. Estamos orientando para que o servidor que se inscrever seja aquele que já atende ou atua no enfrentamento da violência contra a mulher”, explicou a organizadora do Fórum, a assistente social do escritório regional da Sejuf, Neuzeli Stoeberl Bertolla.

Para isso, o evento terá reuniões mensais, iniciando em julho e prosseguindo até novembro deste ano. Até o momento, estão confirmados encontros nas seguintes datas: 17 de agosto, 21 de setembro, 19 de outubro e 16 de novembro. O público-alvo são os servidores das áreas de assistência social, saúde e segurança pública das secretarias municipais da Mulher, dos conselhos municipais da Mulher, dos conselhos tutelares, do Tribunal de Justiça do Paraná e do Ministério Público do Paraná atuantes nos 20 municípios integrantes da Regional da Sejuf. Ao todo, estão abertas 200 vagas para esses profissionais, sendo, a princípio, sete por cidade.

Para debater o assunto, o fórum contará com a presença de profissionais vinculados às políticas públicas dos 20 municípios, como os representantes estaduais, de universidades, pesquisadores, integrantes de movimentos sociais e outros. “Com o fórum, pretendemos instrumentalizar os municípios para o atendimento e no enfrentamento à violência contra as mulheres e, ainda, é um momento para discutirmos com vários entes o atendimento à mulher nos seus vários contextos de vida. Neste sentido, objetivamos trabalhar a prevenção à violência não apenas enquanto promoção, mas também qualificando e debatendo a política pública como forma de oferta da proteção integral às mulheres, seja na assistência social, na saúde, como também na segurança, nos direitos humanos e demais áreas participantes”, completou Bertolla.

Para a responsável pelas Ações e Programas do Governo do Estado do Paraná, Deise Tokano, é necessário fortalecer as políticas públicas de enfrentamento à violência contra a mulher para além dos órgãos e instituições diretamente envolvidos no combate a essa violência. Isso porque essa situação é multifatorial, perpassando diversas políticas públicas e setores da sociedade. “Já havíamos pensado esse fórum durante a pandemia, para discutir e fortalecer as políticas públicas nos órgãos públicos e sensibilizar a população sobre o assunto, porque essa é nossa função enquanto gestores públicos e esperamos que ele seja permanente e constante. Aqui em Londrina, nossa grande parceira é a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, que é muito bem estruturada e que nos apoia em todas as ações”, disse Tokano.

Os municípios que compõem a regional do Sejuf são: Londrina, Alvorada do Sul, Assaí, Bela Vista do Paraíso, Cafeara, Cambé, Centenário do Sul, Florestópolis, Guaraci, Ibiporã, Jaguapitã, Lupionópolis, Miraselva, Pitangueiras, Porecatu, Prado Ferreira, Primeiro De Maio, Rolândia, Sertanópolis e Tamarana. O Fórum Regional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher é uma realização do escritório regional da Secretaria Estadual da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) de Londrina e conta com parceria da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres de Londrina (SMPM). “A atividade faz parte das ações em prol do dia 22 de julho, que visa conscientizar a população sobre a importância do combate a todos os tipos de violência, como a agressão física, psicológica, moral, patrimonial e sexual. Como Londrina conta com uma secretaria e uma Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher estruturadas, acreditamos que podemos contribuir nos debates com outros municípios da região e assim avançarmos no desenvolvimento de políticas públicas para as mulheres”, afirmou a secretária municipal de Políticas para as Mulheres, Rosangela Portella Teruel.

O Dia Estadual de Combate ao Feminicídio foi instituído no Paraná em memória ao feminicídio da advogada Tatiana Spitzner, ocorrido em Guarapuava, em 2018. Além dessa data oficial, em Londrina, há a Semana de Conscientização sobre os Direitos Humanos das Mulheres e o Combate ao Feminicídio, que vai de 22 a 29 de julho. Essa semana transformou-se em norma legal no dia 21 de outubro de 2019, quando o prefeito Marcelo Belinati sancionou a Lei Municipal nº 12.939.

ATO

O Calçadão de Londrina será palco de um ato público na sexta-feira (22), das 10h às 14h, para marcar o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio.  A ação será em frente ao Cine Teatro Ouro Verde, no Calçadão de Londrina, localizado na Avenida Paraná, quase esquina com a Rua Minas Gerais, no Centro. Durante o ato, serão entregues diversos materiais contendo informações sobre os serviços à disposição das mulheres e os canais de denúncia para as vítimas de violência. A ação contará com a participação de representantes da rede de proteção e de enfrentamento à violência contra as mulheres do município de Londrina e, na oportunidade, as pessoas poderão tirar suas dúvidas. Essa será a primeira mobilização presencial da Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica no período pós-pandemia.

Além do ato no Calçadão, a Secretaria de Políticas para as Mulheres vai veicular, nas suas redes sociais, vídeos explicativos sobre o assunto. Eles fazem parte do projeto Secretaria da Mulher Informa e poderão ser assistidos nos perfis da pasta no Instagram e Facebook. “A ideia é chamarmos a atenção da população para o combate ao feminicídio e às várias formas de violência contra a mulher. O ato é aberto ao público e pretendemos mostrar os canais de denúncia e os serviços à disposição das mulheres em Londrina”, disse a secretária municipal de Políticas para as Mulheres em exercício, Rosangela Portella Teruel.

 O ato é organizado pela SMPM (Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres de Londrina) e pelo CMDM (Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres). A presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de Londrina (CMDM), Sueli Galhardi, lembrou que, além do Dia Estadual de Combate ao Feminicídio, o Município de Londrina conta com a Lei Municipal nº 12.939, de 21 de outubro de 2019, instituindo um calendário de comemorações oficiais, que é a semana e o dia conscientização e combate ao feminicídio, que vai de 22 a 29 de julho, e tem como objetivo a conscientização da população sobre os direitos humanos das mulheres. “O nosso objetivo é distribuir material informativo para dar visibilidade ao tema, trazendo a rede de proteção e de enfrentamento à violência contra a mulher, para que todas saibam que existe uma gama de serviços. Isso é importantíssimo para aproximar as informações das mulheres de modo que todas conheçam os serviços e para fortalecer a integração dos serviços da Secretaria da Mulher, do Conselho Municipal e da própria rede. A informação é uma medida preventiva que pode salvar vidas”, disse Galhardi.

Denúncias

As mulheres em situação de violência doméstica e familiar podem entrar em contato diretamente com o CAM (Centro de Referência de Atendimento à Mulher), pelo telefone 3378-0132. Também é possível comparecer presencialmente na Avenida Santos Dumont, 408, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, sem agendamento prévio. A Prefeitura de Londrina disponibiliza uma lista completa com todos os endereços e telefones de contato dos serviços da rede de enfrentamento à violência contra a mulher. Para acessá-la, basta clicar aqui.

Também estão à disposição outros serviços, como a Delegacia da Mulher, pelo número (43) 3322-1633, que atende por telefone e por WhatsApp; o Plantão da Delegacia da Polícia Civil, no (43) 3378-3000 (funciona 24 horas por dia); a Central de Atendimento à Mulher 24 horas pelo Disque 180; a Polícia Militar no Disque 190; e a Patrulha Maria da Penha, pelo153. (Com Ana Paula Hedler/N.Com)

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.