Londrina registra mais uma morte por Covid-19 e PR soma 162

Paciente de 59 anos respirava com a ajuda de aparelhos havia três dias, tinha comorbidades associadas e veio à óbito nesta quarta-feira

Vitor Struck - Grupo Folha
Vitor Struck - Grupo Folha

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais uma morte em decorrência da Covid-19 no município, a 21ª desde o início do monitoramento, em 28 de fevereiro. Segundo o boletim divulgado nesta quarta-feira (27), Londrina soma 321 casos confirmados, sendo que 176 pessoas já podem ser consideradas curadas da doença na cidade. Enquanto isso, o Paraná confirmou 200 novos casos do novo coronavírus e três novos óbitos.  


Em Londrina, 338 pacientes aguardavam o resultados dos pacientes nesta quarta-feira
Em Londrina, 338 pacientes aguardavam o resultados dos pacientes nesta quarta-feira | Sérgio Ranalli/GrupoFOLHA
 


A morte mais recente em Londrina foi de um paciente de 59 anos que estava internado na Santa Casa desde o dia 21 de maio. O homem, que possuía comorbidades associadas, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, respirava com a ajuda de aparelhos desde domingo e morreu nesta quarta-feira. Além dele, uma mulher de 74 anos, que residia em Jaguariaíva (Campos Gerais), e morreu dia 25 de maio, e um homem de 68 anos, morador de Telêmaco Borba, passaram a fazer parte da estatística nesta quarta-feira.




Ao todo, o Paraná soma 3.712 casos confirmados da Covid-19 e 162 óbitos. Duzentos e trinta municípios paranaenses têm ao menos um morador diagnosticado com a doença. Algumas cidades próximas de Londrina, como Apucarana (6), Cambé (1), Cornélio Procópio (5), Rolândia (3) e Nova Fátima (1), também confirmaram novos casos nesta quarta-feira. Além destas, Coronel Domingos Soares (5), Curitiba (36), Douradina (1), Doutor Camargo (1), Fazenda Rio Grande (1), Florestópolis (1), Foz do Iguaçu (16), Guaporema (1), Guaraniaçu (1), Iguaraçu (1), Itambaracá (1), Itapejara D'Oeste (1) e Jacarezinho (2) também apareceram na lista da Sesa. 


Com o atendimento suspenso no pronto-socorro do Hospital Evangélico durante esta semana para a realização de uma desinfecção completa, a rede de saúde de Londrina atravessa um momento delicado. A situação fez com que a promotora Susana de Lacerda, da 24ª Promotoria de Justiça de Saúde de Londrina, solicitasse ao município que compre leitos ociosos da rede particular para diminuir o deficit de vagas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) nos hospitais. 


A FOLHA entrou em contato com o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, na noite desta quarta-feira para pedir mais detalhes sobre uma afirmação feita por ele a veículos de imprensa, de que o município compraria 80 leitos particulares de enfermaria dos prontos-socorros dos hospitais Evangélico e Santa Casa, mas não conseguiu. 


Ao longo do dia, uma vistoria no pronto-socorro da Santa Casa foi realizada pelo Ministério Público do Trabalho, uma vez que a diretoria da entidade teve que afastar 95 funcionários após um surto do Covid-19 há quase duas semanas. Uma série de documentos foi solicitada à diretoria e passará por uma análise também da 24ª Promotoria de Saúde.  


Sobre o pedido feito ao município para que pague por leitos destinados aos convênios, a promotora informou à reportagem que espera uma definição ainda nesta quinta-feira, quando deve se reunir novamente com a Secretaria de Saúde. Conforme o boletim desta quarta-feira, a metade dos 1.421 leitos de Londrina, tanto particulares, quanto os do SUS, estava ocupada.  

 

Enquanto isso, a Sesa divulgou que obras em três hospitais previstas para ficarem prontas no segundo semestre foram “aceleradas”. A estrutura mais próxima de ser inaugurada é no Hospital Regional de Telêmaco Borba. Ivaiporã e Guarapuava também ganharão reforços no número total de leitos. Em Londrina, a estimativa mais recente da diretoria do HU (Hospital Universitário) da UEL (Universidade Estadual de Londrina), é de que os primeiros 30 leitos do hospital de campanha sejam entregues na primeira quinzena de junho.    

 

Atualmente, enquanto o Brasil registra uma taxa de 1.861 casos de Covid-19 para cada um milhão de habitantes, Londrina possui 563 confirmações para cada um milhão. Só para se ter uma ideia, no dia 4 de maio, esta taxa era de 189 diagnósticos de coronavírus para cada um milhão de habitantes.  


O País registrou 1.086 novas mortes por coronavírus e 20.599 novos casos nas últimas 24 horas, segundo dados do Ministério da Saúde). Com isso, o total de óbitos é de 25.598, e de casos confirmados, 411.821.Foi o segundo maior número de novos casos em 24 horas registrado nos últimos três meses – o maior foi na sexta (22), com 20.803. O recorde diário de mortes registradas em um dia é da última quinta-feira (21), com 1.188 novos óbitos.




De acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA), o Brasil é o segundo país com mais casos da doença. Em números absolutos, fica atrás apenas dos Estados Unidos, que têm 1,6 milhão de casos.Em número de mortes, o Brasil é o sexto país mais afetado. Os cinco primeiros países com mais mortes são EUA (100 mil), Reino Unido (37 mil), Itália (33 mil), França (28 mil) e Espanha (27 mil).(Com Folhapress)

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo