Uma liminar da Justiça Federal suspendeu, ontem à tarde, o início do horário de verão no Ceará. O juiz Agostinho Lima Chaves, da 12ª Vara Federal, atendeu a uma ação do deputado federal Sérgio Novaes (PSB).
O governo federal e entidades ligadas a grupos de comunicação já entraram na Justiça para tentar cassar essa liminar. Este seria o segundo ano consecutivo em que o horário de verão seria aplicado no Estado.
Por estar localizado próximo à linha do Equador, o Ceará não tem os dias prolongados no período do verão, como acontece nos Estados do Sudeste e do Sul.
Dessa forma, a economia de energia elétrica verificada nas áreas meridionais não se repete ao norte.
Com o horário de verão no Ceará, o dia deixa de amanhecer às 6 horas e passa a clarear somente às 7 horas, obrigando os moradores a acender as luzes pela manhã. O mesmo acontece em Estados vizinhos, como Rio Grande do Norte, Paraíba e Piauí.
O único prejuízo seria por conta da realização de negócios e da programação das emissoras de TV, o que colaborou para a decisão do Ministério de Minas e Energia para que o horário de verão fosse ampliado também para esses Estados do Nordeste.
De acordo com os números apresentados pelo deputado Novaes, o Nordeste aumentou o consumo de energia em 5,02% durante a última edição do horário de verão (outubro de 99 a fevereiro de 2000) em comparação aos cinco meses anteriores. No Piauí foi registrada a maior diferença: 10,41% de aumento de consumo.