Ladrão assalta administrador e depois mata investigador em SP19/Mar, 21:10 São Paulo, 19 (AE) - Pouco menos de 30 minutos. Esse foi o tempo que João Batista de Souza, de 30 anos, levou para roubar o administrador de empresas Reginaldo Ferreira Leme, de 39 anos, e para matar, depois, num segundo assalto, o investigador de polícia Cláudio Marcondes de Souza, de 53 anos. Os crimes ocorreram ontem entre 18h30 e 19 horas no Jabaquara, zona sul da capital paulista. O acusado foi preso e autuado em flagrante no 35.º Distrito Policial. Segundo a polícia, ele confessou os dois crimes e foi reconhecido por testemunhas. A ação do bandido começou na esquina das Ruas Canjeranas e Buriti. Armado com um revólver calibre 38, ele abordou Leme, de 39 anos. Fez com que ele entregasse dois telefones celulares e a carteira com dinheiro e documentos. O bandido seguiu caminhando e, pouco depois, na Avenida Engenheiro Armando Arruda Pereira, encontrou o investigador e também tentou assaltá-lo. Mas o policial reagiu e o criminoso atirou pelos menos quatro vezes - o revólver que ele usava tinha capacidade para cinco balas. Não levou nada e saiu correndo, tentando fugir. Mas, na Avenida Engenheiro George Corbusier, perto da delegacia, o bandido foi apanhado por PMs do 3.º Batalhão e levado ao 35.º DP. Quando foi detido, ele ainda estava com os celulares do administrador de empresas, mas negou ter matado o policial. O investigador, que trabalhava no 97.º DP, em Americanópolis, foi socorrido, mas morreu no pronto-socorro do Hospital do Jabaquara. Na delegacia, uma testemunha do assalto ao policial reconheceu o preso, que, segundo a polícia, acabou confessando também esse crime. Souza foi autuado em flagrante pelo roubo a Leme e pela tentativa de roubo seguida da morte do investigador. Tiroteio - Às 23 horas, um adolescente morreu e outro foi preso por PMs. Segundo a versão da polícia, os acusados reagiram à prisão a tiros. Ambos teriam assaltado a casa do comerciante Roberto Hiromitsu Furukawa, no Jardim Bonfiglioli. Os bandidos levaram seu Ímega e, pouco depois, foram vistos por PMs na Rua Padre Jacome Queiroz. Na fuga, o motorista do Ímega entrou em uma rua sem saída e tentou ir de encontro ao carro da PM. Segundo a PM, houve tiroteio e V.F.L. de 16 anos, foi atingido na cabeça. Ele foi levado ao Hospital Bandeirantes, mas morreu. B.S.O, de 17 anos, entregou-se. No 75.º Distrito Policial, foi ouvido e enviado ao SOS Criança. (Marcelo Godoy e Oswaldo Faustino)