Moscou, 02 (AE-AP) - Os altos funcionários da administração russa, o Kremlin, estão certos de que o presidente interino, Vladimir Putin - empossado na sexta-feira, logo após a renúncia de Boris Yeltsin -, vai eleger-se tranquilamente no primeiro turno das eleições presidenciais.
Tal convicção foi expressa neste domingo (02) pelo vice-chefe do Gabinete Presidencial, Igor Shabdurasulov, até então um dos principais assessores de Yeltsin.
"Imagino que Putin não fará nenhuma campanha eleitoral", disse Shabdurasulov. "Sua atividade nos cargos de primeiro-ministro (que manteve) e presidente será suficiente."
Shabdurasulov comentou ainda que Yeltsin teve um "ótimo" ano-novo. "Ele chegou a dizer que foi a primeira vez em anos que passou um ano-novo com o humor tão elevado." O ex-presidente planeja ir quarta-feira a Belém, na Cisjordânia, para tomar parte nas comemorações do Natal ordotoxo, na sexta-feira.
Yeltsin renunciou seis meses antes do término de seu mandato. Pela Constituição russa, a eleição tem de ser realizada num prazo de 90 dias após sua saída. A princípio, o Kremlin marcou o pleito para 26 de março, mas essa data terá de ser confirmada na quarta-feira pela Câmara Baixa do Parlamento russo (Duma).
O principal adversário de Putin será provavelmente o líder do Partido Comunista (PC), Gennady Zyuganov, derrotado por Yeltsin em 1996. O prefeito de Moscou, Yuri Luzkhov, e o ex-primeiro-ministro Yevgeny Primakov também são cotados para disputar o cargo. Para concorrer, os candidatos têm de apresentar até 10 de fevereiro 1 milhão de assinaturas.