São Paulo, 26 (AE) - Em apenas dois dias, Celso Pitta deixou de ser prefeito de São Paulo e foi novamente reconduzido ao cargo. Tudo isso através de decisões da Justiça. E a novela tem ingredientes para durar um pouco mais. A liminar que devolve a Pitta o cargo pode perdurar até o julgamento final do mandado de segurança impetrado pelos advogados do prefeito, um prazo que oscila entre 60 a 90 dias.
Se depender da opinião de alguns desembargadores, a liminar concedida por Hermes Pinotti, 4º vice-presidente do Tribunal de Justiça, que reconduziu Pitta ao cargo, deverá ser mantida. No entender de vários desembargadores, a decisão do juiz da 13ª Vara da Fazenda Pública, Olavo Sá Pereira da Silva, que afastou o prefeito do cargo, está mal fundamentada.
Isso pode ser comprovado na liminar concedida pelo TJ, no qual o desembargador diz que a decisão da 13ª Vara "não especifica os motivos pelos quais seria necessário o afastamento do prefeito para a instrução processual." Um outro motivo alegado pelo desembargador Pinotti é a necessidade de se garantir a estabilidade do poder Executivo municipal.