Aracaju, 29 (AE) - Em Sergipe, os juízes federais e trabalhistas não fizeram greve, mas também não gostaram da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Nelson Jobim sobre o auxílio- moradia de até R$ 3 mil. Eles continuam empenhados na luta pela fixação do teto salarial do funcionalismo público em R$ 12.720,00. É que, segundo o presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho (Amatra) do Estado, Augusto César Leite, com o aumento dos salários dos ministros do STF para R$ 12.720,00, os juizes teriam os vencimentos reajustados de 60% a 80%. Já com o auxílio-moradia dado por Jobim, o aumento dos salários dos magistrados seria menor, ficando em torno de 40%.