Interrogatório de skinheads começa amanhã em SP8/Mar, 11:26 Por Thélio de Magalhães São Paulo, 8 (AE)- O juiz José Ruy Borges do 1º Tribunal do Júri, iniciará amanhã (9), às 13 horas, os interrogatórios dos 18 skinheads acusados de homicídio e tentativa de morte triplamente qualificado e formação de quadrilha. Na madrugada de 6 de fevereiro, na Praça da República, eles espancaram até a morte, o adestrador de cães Edson Néris da Silva, de 35 anos. A agressão foi motivada pelo fato de Edson estar de mãos dadas com Dario Pereira Neto, de 34 anos que conseguiu fugir. Os 18 acusados estão presos em flagrante desde o dia do crime e podem ser condenados de 21 a 55 anos de cadeia, nos têrmos de denúncia oferecida pelo promotor Marcelo Milani, especialmente designado pela Procuradoria Geral da Justiça. O homicídio e a tentativa de morte são qualificados pela surpresa do ataque que impossibilitou a defesa das vítimas, a motivação torpe (foram espancados por ser homossexuais) e emprego de meio cruel - chutes, murros e golpes desferidos com soco inglês. Amanhã serão interrogados cinco deles, na sexta e na segunda mais 10, em grupos de cinco e, finalmente, na quarta, os três últimos. O advogado Milton Bonelli impetrou habeas corpus com pedido de liminar, em favor do acusado Jorge Soler Conceição Tales, atualmente recolhido no 75º DP, pedindo a revogação da prisão em flagrante. O advogado argumenta com a primariedade e os bons antecedentes do réu, além da precariedade de provas, pois Soler não foi reconhecido pela vítima sobrevivente. O desembargador Gentil Leite, do Tribunal de Justiça, decidirá sobre o pedido de liminar, tendo requerido informações ao juiz do 1º Tribunal do Júri. Se conceder a liminar ele poderá estender o benefício aos demais acusados.