Jacarta, 20 (AE-DOW JONES) - O governo da Indonésia assinou nesta quinta-feira (20) um novo acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), que permitirá ao organismo retomar a concessão de ajuda financeira para o país.
O documento prevê crescimento econômico de 3% a 4% para o ano fiscal de 2000 e considera que a Indonésia deverá registrar uma expansão de 5% a 6% no médio prazo.
Divulgado no mesmo dia em que o governo enviou sua proposta orçamentária para este ano ao Congresso, a carta de intenções assegura que a lacuna de US$ 4,3 bilhões no orçamento será preenchida com a reestruturação do débito e empréstimos de agências multilaterais.
O FMI suspendeu os empréstimos à Indonésia em setembro do ano passado, após a confiança do organismo em relação ao país ter sido abalada por causa de um escândalo envolvendo o Banco de Bali.
O conselho do FMI deverá se reunir no início de fevereiro para discutir novos empréstimos para a Indonésia. No novo acordo, o governo indonésio informa que a sua nova política econômica será construída em torno de quatro pilares: garantia de estabilidade de preços, estímulo à reestruturação do setor bancário e corporativo, reconstrução das instituições indonésias e melhoria do gerenciamento dos recursos naturais.
"Há muito a ser feito para revitalizar a economia e estabelecer a fundação para uma recuperação sustentada com o objetivo de recuperar empregos, reduzir a pobreza e garantir igualdade de oportunidades", destacou o comunicado do governo.