|
  • Bitcoin 121.615
  • Dólar 5,0547
  • Euro 5,2170
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 07/07/2022, 21:35

Incêndio atinge hipermercado da avenida Madre Leonia Milito

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 07 de julho de 2022

Vítor Ogawa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Um incêndio atingiu o Super Muffato da avenida Madre Leonia Milito, na zona sul de Londrina, na tarde de quinta-feira (7). As chamas começaram na parte dos fundos do estabelecimento. Tão logo foram constatadas as primeiras chamas, funcionários das lojas começaram a correr e a gritar para alertar os clientes. O alarme de incêndio foi acionado, no entanto, o sistema de áudio por alto-falantes não explicou para todos os frequentadores do estabelecimento o que estava ocorrendo. Houve quem pensasse ser uma simulação, mas logo a correria dos frequentadores que estavam no fundo da loja denunciou ser um incêndio real. Os caixas solicitaram a quem estava na loja com cestas de compras ou carrinhos de supermercado, que abandonassem as compras e deixassem o estabelecimento por questão de segurança.

Funcionários e clientes saíram rapidamente do estabelecimento. Funcionários e clientes saíram rapidamente do estabelecimento.
Funcionários e clientes saíram rapidamente do estabelecimento. |  Foto: Gustavo Carneiro/Grupo Folha
 

A funcionária de um quiosque que fica na ante loja do local, Bruna Gabriela de Almeida, relatou que foi uma correria. “Foi um desespero. Tinha muita gente correndo. Alguns largaram as compras e outros saíram com o carrinho cheio, todos correndo. Todo mundo desceu rápido para tirar os carros, senão as chamas poderiam atingir os veículos. Até fecharam a avenida aqui para que os bombeiros pudessem apagar as chamas.”

Sua colega, Regina Miyamura, que trabalha no quiosque de Açaí, relatou que inicialmente não se sabia o que estava acontecendo. “Só ficamos sabendo quando uma  mulher gritou fogo, fogo. Foi horrível. Foi uma correria do pessoal.”

Durante a remoção dos veículos que estavam no estacionamento houve pânico e muitos correram para retirar os seus carros do subsolo da loja. Houve congestionamento na saída, já que todos queriam sair em simultâneo.

A funcionária da Revistaria Vencer, Vitória Rosa Castro, relata que já tinha terminado o seu turno de trabalho, mas foi atrás de sua irmã que trabalha no local, mas foi impedida de entrar. “No momento em que cheguei um senhor me avisou para não entrar, porque o mercado estava pegando fogo. Encontrei a minha irmã e a gente saiu para a área externa  do Muffato”, declarou.

A assessoria de imprensa do Super Muffato ressaltou que o fogo foi controlado inicialmente por colaboradores da CIPA até a chegada dos bombeiros, que fizeram a contenção total do foco. “Neste turno há cerca de 150 colaboradores na loja, mas ninguém ficou ferido. O Grupo Muffato agradece seus colaboradores e o Corpo de Bombeiros pela cooperação. No momento a situação está controlada." A loja reabre sexta-feira(8) em horário normal. Na quinta-feira, após o incêndio, o estabelecimento ficou fechado por questão de segurança e organização.

O comandante do serviço operacional do 3º Grupamento de Bombeiros de Londrina, Capitão Rene Augusto Bortolassi, afirmou que o incêndio teve origem na panificadora do hipermercado, por volta das 17h10. “Pegou fogo em uma fritadeira elétrica e ele acabou se alastrando para a parte do depósito que fica anexa à panificadora, mas graças a Deus conseguimos chegar rápido aqui e conter o incêndio para que ele não se alastrasse para o restante do depósito. Ali tem muito material e carga combustível. Com esse combate, a gente impediu que as chamas acessassem a parte da loja desse hipermercado.”

Bortolassi ressaltou que as chamas geraram muita fumaça. “Inevitavelmente o ambiente inteiro da loja foi tomado por muita fumaça.” Foram colocados ventiladores para tentar remover essa fumaça do ambiente para que o estabelecimento fosse liberado, mas o cheiro forte de queimado e a massa de vapor de fumo teimava em não se esvair. “Foi aproximadamente meia hora de combate até o controle efetivo do incêndio e depois desse tempo foi mais o processo de rescaldo.” Quando conversou com a reportagem, por volta das 19 horas, o capitão reforçou que já não havia foco algum de incêndio. “Foi feita a orientação para a equipe do mercado para retirar todo o material queimado para não haver chance de retorno desse incêndio.” 

Bortolassi ressaltou que a brigada de incêndio do próprio estabelecimento foi importante para fazer o primeiro combate às chamas. “Até utilizamos para o combate desse incêndio a rede de hidrantes do supermercado, que funcionou muito bem. Os equipamentos deles tiveram pressão adequada para que o combate fosse bem feito, além dos equipamentos que compõem a nossa guarnição”, afirmou Bortolassi. A princípio não houve feridos. “Tivemos vítimas que inalaram fumaça e sentiram mal, mas nada grave. Foram atendidas nas ambulâncias, mas não chegou a ter outro encaminhamento”, expôs Bortolassi.

O hipermercado fica exatamente ao lado de outro local atingido por chamas em março de 2015, quando a casa noturna Mansão Palhano foi destruída por um incêndio. Na época as chamas tiveram origem na fiação elétrica do prédio.

Este é o terceiro hipermercado atingido por chamas este ano na Região Metropolitana de Londrina. O Supermercado Montana, em Ibiporã (RML), foi destruído no dia 22 de março após um trabalho de impermeabilização no teto fugir de controle e ter matado Anderson Rodrigues dos Santos, a pessoa que estava manuseando o maçarico para fazer o serviço.

Poucos dias depois, no dia 28 de março, o Supermercado 88, no jardim Indusville, zona leste de Londrina, também foi destruído, mas nesse caso o Instituto de Criminalística do Paraná apontou haver indícios de que o incêndio tenha sido criminoso, visto que foram encontradas garrafas de coquetel molotov.

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.