Igreja lança amanhã Campanha da Fraternidade de 2000 Pr Chico Araújo, especial para a AE7/Mar, 16:14 Brasília, 07 (AE) - O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic) lança amanhã (08), em Brasília, a Campanha da Fraternidade de 2000, que terá a dignidade humana e a paz como tema central. Pela primeira vez, a campanha terá motivação ecumênica e envolverá, além da Igreja Católica, igrejas como a Anglicana, Luterana, Igreja Ortodoxa Siriana e Presbiteriana Unida. O lançamento da campanha ocorrerá na Igreja Anglicana de Brasília, com a participação de representantes de todas as igrejas. "A campanha será aberta à participação de todas as denominações cristãs que quiserem nela comprometer-se, no espírito do ecumenismo", destaca o Conic em nota sobre a campanha, que pretende mobilizar todas as Igrejas cristãs em defesa da dignidade humana. Para os organizadores, o tema escolhido consiste numa condição básica para a paz, que deve ser vista não apenas como ausência de guerras, mas, em sentido bíblico, como bem-estar da convivência cotidiana As pesquisas apontam a questão da violência, depois do desemprego, como o maior problema da sociedade atual. O Brasil ocupa o terceiro lugar entre os países mais violentos da América Latina. Para as igrejas, a redução da violência não seria fruto apenas da repressão e de alianças políticas, mas de uma ação coordenada envolvendo os diversos segmentos sociais. Este ano, o lema da campanha é "Novo Milênio sem exclusões" e foi inspirado pela expectativa do início do Terceiro Milênio da Era Cristã. A sua finalidade é mostrar uma sociedade que vem organizando-se cada vez mais em função do bem-estar de um milênio solidário, sem exclusões, que respeita os Direitos Humanos. Segundo o Conic, o tema "Dignidade Humana e Paz" foi escolhido a partir de sugestões vindas das Igrejas. É de conteúdo muito vasto e rico. "Visa unir os cristãos no testemunho e no anúncio evangélico da dignidade humana, condição básica para a paz". Para as igrejas, a dignidade humana, como pré-condição para a paz, deve ser fundamentada e observada nas condições de vida do povo.