Belém, 09 (AE) - O superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no Pará, Paulo Castelo Branco, anunciou hoje que o órgão vai fiscalizar os 98 projetos de empresas e grupos madeireiros aprovados nos últimos anos pela Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).
A fiscalização terá início a partir do dia 20 por Altamira, no Sudoeste do Estado e deve estender-se por vários municípios do Sul e do Leste paraense, onde são maiores a devastação, as queimadas e a extração ilegal de madeira.
Castelo Branco disse que muitos projetos vinham sendo executados com financiamentos da Sudam sem que fossem apresentados ao Ibama. "Os madeireiros começavam a derrubar a floresta antes mesmo de pegar no dinheiro; isso, agora, vai acabar." Para ele, os projetos aprovados terão de ser executados "respeitando" a legislação ambiental. Um avião confiscado de traficantes de cocaína presos em Marabá será usado no trabalho dos fiscais. A ordem para a cessão do avião ao Ibama foi dada pelo ministro da Justiça, José Carlos Dias. Agentes da Polícia Federal (PF) e 15 policiais da Companhia de Polícia do Meio Ambiente (Cipoma) farão parte da operação.