Boston, EUA, 7 (AE-AP) - Um preso que garante ser uma mulher em um corpo de homem entrou com uma ação para que o Estado pague a ele uma cirurgia de mudança de sexo.
Robert Kosilek, que cumpre pena pelo assassinato de sua esposa em 1990, afirma que impedir sua "transformação para mulher" é um castigo cruel.
Desde sua condenação em 1993, Kosilek, de 50 anos, não tem acesso a hormônios nem a cirurgia que, segundo ele, permitira "alcançar um certo nível de congruência psicosexual". As autoridades aceitaram que Kosilek seja estudado por um especialista. Ele iniciou o pedido pela mudança de sexo antes da condenação por assassinato.