Grupo negro prega extermínio de brancos, gays e judeus2/Mar, 18:01 Por Biaggio Talento Salvador, 02 (AE) - O presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), antropólogo Luís Mott pediu providências hoje ao Ministério da Justiça e à Secretaria Nacional de Direitos Humanos contra um suposto grupo antinazista denominado Poder Negro. Através do site americano hotmail ele estaria enviando mensagens racistas para várias pessoas. Mott foi uma delas e achou estranho o fato de o grupo ser formado por pessoas negras. Nas mensagens o Poder Negro prega o extermínio de brancos, judeus, negros homossexuais e judeus (que teriam "traído" a raça), gays, lésbicas e pessoas que praticam algum tipo de "sexo anormal". Um dos alvos dos nazistas é a facção gay do GGB, o Kibanda Dudu. De acordo com o Poder Negro, o Kibanda "não perde por esperar". A organização defende a criação de um Estado independente, formado pela Bahia, Sergipe e Rio de Janeiro. As mensagens são assinadas por Rodrigo Cardoso dos Santos. Mott reclamou e informou que o Ministério da Justiça prometeu identificar o autor das mensagens e processá-lo.