Agência Estado
Do Rio
A organização ambientalista Greenpeace quer a remoção da Refinaria Duque de Caxias (Reduc) da Baía de Guanabara. O gerente internacional de Campanha contra Substâncias Tóxicas, Marcelo Furtado, alega que o tipo de atividade da Reduc - que provocou vazamento de 1,292 milhão de litros na terça-feira - é nociva à população que vive no local. Na sexta-feira, Furtado defendeu uma ‘‘discussão ampla’’ sobre o tema. ‘‘A baía é da população e não das refinarias’’, afirmou.
Uma equipe do Greenpeace está no Rio para acompanhar as consequências do vazamento de óleo para navios na Baía de Guanabara. Os ativistas entregaram uma carta ao presidente da Petrobras, Phillip Reichstul, criticando a forma como a estatal ‘‘tem se conduzido no caso’’, por divulgar informações ‘‘insuficientes para qualificar o vazamento’’. Eles exigem que a Petrobras assuma o compromisso de ‘‘descarga zero’’ na Baía de Guanabara.