Brasília, 10 (AE) - Os ministros enfatizaram hoje ao presidente Fernando Henrique Cardoso, durante a reunião da coordenação política, as dificuldades para a aprovação, na quarta-feira (12), da emenda constitucional que permite a Desvinculação das Receitas da União (DRU), que substituirá o Fundo de Estabilização Fiscal (FEF). Na avaliação de um ministro experiente em articulações com a base aliada "é difícil" aprovar a emenda nesta quarta-feira, "mas o governo está trabalhando para isso". Desde a semana passada, quando foram convocados pelo presidente ao Planalto, os ministros têm passado horas ao telefone com parlamentares de suas bancadas, na tentativa de garantir quórum em Brasília já nesta semana.
A reunião de hoje foi o terceiro encontro do presidente com os ministros políticos em sete dias com o objetivo de checar a mobilização da base aliada nas votações da convocação extraordinária do Congresso. Fernando Henrique está empenhado porque a votação da emenda da DRU é condição necessária para a aprovação e execução do orçamento da União para este ano.
Por se tratar de emenda constitucional, exige 308 votos favoráveis. Na semana passada o ministro das Comunicações, Pimenta da Veiga, já adiantou que o governo só arriscará uma votação se conseguir colocar em plenário da Câmara 480 deputados.
A reunião de hoje durou cerca de 40 minutos. Do encontro participaram oito ministros, além de assessores pessoais do presidente. Segundo o porta-voz, Georges Lamazire, Fernando Henrique "passou rapidamente" pela sala onde estavam reunidos seus colaboradores, já que a orientação já havia sido dada na reunião da semana passada.