Gerente do Citibank e técnico tributário são presos com cartão clonado4/Mar, 17:33 Por Rogério Panda São Paulo, 4 (AE)- O técnico tributário Márcio Luís Cavadas, de 29 anos, e o gerente de Abertura de Contas do Citibank Laércio da Silva, de 41 anos, foram presos em flagrante pela polícia na tarde de ontem, no Shopping Center Ibirapuera, na zona sul, após fazer compras com um cartão de crédito clonado e uma cédula de identidade falsa. Segundo a polícia, o cartão Class Card, do Banco do Brasil, e o RG usados pela dupla estavam em nome do médico anestesista Júlio César Fiorim, de 37 anos. Os dois foram levados ao 27.º Distrito Policial, no Campo Belo, onde foi registrado o boletim de ocorrência. Segundo a polícia, Cavadas, que portava os documentos falsos, e Silva despertaram suspeitas ao tentar comprar um aparelho de DVD na loja Best Mix do shopping. Como forma de pagamento, eles tentaram usar o cartão clonado. O gerente da loja, João Luiz da Silva, de 27 anos, desconfiou da autenticidade do documento e consultou uma máquina conhecida como Testa Nota. Ao confirmar que o cartão era falso - os dados não estavam corretos - voltou à recepção e informou aos dois que a compra não poderia ser feita, por problemas operacionais. Assim que eles saíram da loja o gerente acionou a segurança do shopping. Depois disso, os dois continuaram fazendo compras. Foram à joalheria R. Wainer e compraram um relógio feminino, marca Bulova, por R$ 530,00, utilizando o cartão. Depois, foram para a loja O Boticário, no piso Ibirapuera do shopping, e compraram 20 desodorantes e 8 perfumes. A vendedora Adriana Almeida Macedo, de 24 anos, não desconfiou dos documentos falsos. Perseguição - A essa altura, o coordenador de Segurança do shopping, Édson Tenório Batista, de 38 anos, já havia posto toda a equipe de vigias atrás da dupla e também acionado a Polícia Civil, que efetuou a prisão de Cavadas e Silva num dos corredores do shopping. Na hora da prisão, Cavadas ainda tentou intimidar os policiais, mostrando uma carteira falsa de Comissário de Menores, do Poder Judiciário. Em depoimento, Cavadas declarou que havia comprado o cartão de crédito e o RG falsos na Praça da Sé, no centro de São Paulo. A polícia não acredita nessa hipótese. Desconfia que eles façam parte de uma máfia de clonagem de cartões e documentos. Ainda de acordo com os policiais, Silva é gerente da agência Moema do Citibank e Cavadas trabalha em um escritório de assessoria empresarial, no Jardim Europa. Cavadas e Silva foram indiciados por estelionato e uso de documentos falsos. Por enquanto, eles estão presos em uma cela do 27.º DP, separados dos demais presos. Descrença - O médico anestesista Júlio César Fiorim disse hoje, em entrevista à Agência Estado, que tinha acabado de chegar do hospital onde trabalha quando foi informado pela polícia sobre a ocorrência. "Eu uso muito pouco o meu cartão, nem pela Internet eu uso", afirmou. De acordo com Fiorim, ele possui apenas cartão de crédito do Unibanco e uma conta de ações que não movimenta, no Banco do Brasil. Fiorim não tem idéia de como a dupla obteve seus dados. "Eu já quase não acreditava no sistema financeiro brasileiro e, hoje, passo a acreditar menos ainda." A reportagem tentou entrar em contato com a assessoria de imprensa do Citibank e deixou vários recados na secretária eletrônica, mas não obteve retorno da ligação.