São Manuel, SP, 07 (AE) - O gerente do Banco do Brasil em São Manuel, Antonio Masson, e sua família foram sequestrados ontem (06) à noite por um grupo de sete homens e uma mulher. A intenção dos assaltantes era mantê-los cativos até o amanhecer, quando poderiam ter acesso ao cofre do banco onde, segundo informações não oficiais, havia R$ 300 mil. Um vizinho estranhou a movimentação na casa de Masson e chamou a polícia. Os assaltantes fugiram pelos fundos da casa quando os policiais chegaram.
O grupo de assaltantes chegou à casa do gerente, na rua dos Andradas 394, por volta das 19 horas. Dominou toda a família e a levou para um canavial próximo à cidade. No local a mulher do gerente, Sandra, seus filhos Aparecida e Luiz Alberto e o irmão Santo foram trancados na carroceria de uma caminhonete Fiorino. Antonio foi levado de volta para casa, por quatro dos assaltantes, que o mantiveram incomunicável à espera da hora de abertura do segredo do cofre.
Os policiais militares chegaram ao local por volta das 5h40 de hoje, onde encontraram os veículos dos ladrões - um Vectra e um Gol com placas de São Paulo - parados em área proibida. Eles desconfiaram que os veículos fossem roubados, mas como estavam com muito barro e havia rastros que levavam dos veículos para a casa do gerente do banco, bateram na porta para verificar se havia algo de errado. Antonio Masson os atendeu, dizendo nervosamente que não havia nada, mas os soldados insistiram para que saísse. Fora da casa ele gritou que havia sido sequestrado e sua família estava com parte do grupo. Os ladrões fugiram pelo fundo da casa.
Por volta das 9 horas da manhã, a mulher de Antonio ligou de São Paulo, informando que toda a família havia sido libertada no Jabaquara, em São Paulo e que ninguém estava ferido. Além dos dois automóveis, a polícia apreendeu uma pistola automática e cupons dos pedádios da rodovia Castelo Branco. Até até a tarde de hoje não haviam queixas de furto sobre os dois veículos.
Essa é a segunda vez que sequestram o gerente do Banco do Brasil de São Manuel.Há dez anos a polícia matou um ladrão e prendeu outros dois que mantinham o gerente e sua família presos em casa.