São Paulo, 01 (AE) - As pilhas Ray-o-vac podem ser descartadas no lixo doméstico, sem prejuízo para o meio ambiente
garantiu hoje o gerente de Relações Institucionais da Ray-o-vac e vice-diretor da Associação Brasileira das Indústrias de Equipamentos Eletrônicos, Jaime Cynamon. Ele criticou o apelo feito hoje pelo presidente Fernando Henrique Cardoso para que a população não jogue pilhas e baterias no lixo por causa do risco de contaminação do meio ambiente com metais pesados.
"É muito barulho por nada, pois esse assunto vem sendo discutido entre os fabricantes e distribuidores de pilhas e baterias e o ministro do Meio Ambiente José Sarney Filho", afirmou Cynamon. De acordo com ele, todas as empresas estão se empenhando para cumprir a resolução 257 do Conselho Nacional de Meio Ambiente(Conama) , que estabelece limites para os componentes poluentes utilizados por estes produtos, a partir de julho. Muitas empresas, no entanto, já regularizaram sua situação, disse o gerente.
O Conama estabeleceu, através da resolução 257, aprovada 30 de junho de 99, e publicada no Diário Oficial em 02 de julho, a redução na quantidade de metais como chumbo, cádmio e mercúrio nas pilhas. Há dois limites, para este ano e o próximo.A redução será feita até que as pilhas possam ser descartadas como lixo doméstico, sem prejuízos para o meio ambiente.
Cynamon disse que a linha de produtos Ray-o-vac não polui. Desde outubro de 99, a empresa é a única do seu segmento com toda a linha de produtos 100% ecológica, totalmente adequada aos padrões exigidos pelo Conama para o ano de 2001. A linha de baterias para celular, informou, também está dentro dos padrões da resolução 257.