Buenos Aires, 01 (AE-ANSA) - O juiz espanhol Baltasar Garzón enviou hoje (01) à justiça argentina um novo e mais detalhado pedido de detenção de 48 acusados de genocídio por sua participação na última ditadura militar (1976-83), informou o Palácio dos Tribunais, em Madri.
O pedido de Garzón está contido em um processo de 200 folhas no qual foi incorporado nomes e demais dados pessoais de 47 militares e um civil acusados de genocídio, terrorismo e torturas.
Garzón, que leva uma causa similar contra o ex-ditador chileno Augusto Pinochet, se propõe a investigar como foram detidos e "desaparecidos" cerca de 500 cidadãos espanhóis radicados na Argentina.