Rio, 01 (AE) - O governador do Rio, Anthony Garotinho (PDT), anunciou hoje que, a partir de 1.º de maio, o piso do servidor estadual será de 400 reais e o teto, de R$ 8 mil. Garotinho disse ser favorável ao aumento do salário mínimo para 180 reais e ainda que todos os Estados e municípios, além da União, devem ajustar as folhas para ter um piso "justo". Serão beneficiados 78.387 servidores, entre ativos e inativos. O Estado vai gastar R$ 8 milhões, diferença entre o que será economizado com a redução dos salários mais altos e o que será gasto.
Garotinho disse que "a falta de critério para conceder aumento aos servidores causou distorções salariais". "Um salário de R$ 8 mil é ótimo, ninguém tem do que reclamar", afirmou o governador, que também terá o salário de R$ 9.600,00 reduzido. Dois mil servidores estão nesta situação. Segundo Garotinho, os maiores beneficiados serão os aposentados, que somam 45 mil. Garotinho disse que o objetivo incial do governo era estabelecer um piso de 500 reais. "Queremos a menor diferença possível entre o menor e o maior salários", disse.
De acordo com o governador, o Estado vai gastar R$ 21,5 milhões com o aumento do salário dos que ganham menos do que o novo piso. Garotinho disse que as medidas não vão ter impacto negativo na Previdência.
"Temos R$ 8 bilhões em nosso fundo de previdência, em títulos públicos federais", afirmou. Garotinho não acredita que vá haver resistência dos prefeitos. "Houve aumento nas arrecadações municipais; só aquelas cidades que apresentam desajuste grande terão problemas", disse o governador.
Os deputados da Comissão Especial do Salário Mínimo da Câmara dos Deputados mostraram-se satisfeitos com a decisão do governo. O novo piso será equivalente a US$ 230. "A campanha pelo aumento do mínimo deu uma boa guinada aqui no Rio", disse o deputado Luiz Antônio de Medeiros (PFL-SP). Para a deputada Jandira Feghali (PC do B-RJ), as medidas vão esquentar a economia. "Quem ganha mais gasta mais; não há dúvida", afirmou Jandira.