O Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) desmembrou um esquema de corrupção e crime ambiental nesta terça-feira (16), por meio da operação João de Barro. A iniciativa também contou com a participação da Polícia Militar (PM).

Os agentes interditaram uma madeireira em Tibagi (Campos Gerais) e cumpriram 68 medidas judiciais em 15 cidades do Paraná.

Imagem ilustrativa da imagem Gaeco interdita madeireira em operação contra corrupção no Paraná
| Foto: Divulgação/Gaeco



Só no período da manhã, quatro pessoas foram presas em flagrante por posse irregular de arma. As informações são do G1.

O Gaeco também detectou a participação de policiais militares e de funcionários do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) no esquema. A operação também culminou na suspensão das atividades de cinco empresas.

Ainda de acordo com o Gaeco, a investigação do esquema ocorre há 10 meses e apontou indícios de crimes de corrupção ativa e passiva, além de crimes ambientais, como corte ilegal de armas, obstáculo à fiscalização, comercialização e transporte ilegal de madeireiras. Os crimes estariam acontecendo desde 2010.

A operação foi realizada nas cidades de Curitiba, Guarapuava, Imbituva, Ivaí, Guamiranga, Irati, Inácio Martins, Laranjeiras do Sul, Ponta Grossa, Prudentópolis, Reserva, Teixeira Soares e Tibagi. (com informações do G1)