Rio, 20 (AE) - A Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema) pretende divulgar amanhã (21) à tarde o resultado da análise feita sobre a mancha de óleo encontrada na Baía de Guanabara. A mancha apareceu na quinta-feira e deve ter sido causada por lavagem de óleo de navio petroleiro, o que só pode ser feito em alto-mar.
Técnicos do Serviço de Prevenção de Acidentes da fundação sobrevoaram a baía no sábado para verificar a situação da mancha e recolheram material. Também foi acionada a Capitania dos Portos para vistoriar os navios ancorados na baía. A embarcação responsável pelo derramamento poderá ser multada e seu comandante denunciado por crime ambiental.
Uma equipe do Programa Emergencial da Baía de Guanabara, formada por empresas de petróleo e órgãos da área ambiental, colocou bóias em torno da mancha para evitar que se espalhe. Os técnicos da Feema, no entanto, já alertaram que a mancha não atingiu grandes proporções: a quantidade de óleo derramado foi de apenas três metros cúbicos.