Belo Horizonte, 22 (AE) - O governador Itamar Franco (sem partido) afastou hoje a possibilidade de uma reaproximação com o governo federal. Na quinta-feira, Itamar foi convidado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso para participar da solenidade de posse do ministro Geraldo Magela da Cruz Quintão no Ministério da Defesa, que acontece nesta segunda-feira, no Palácio do Planalto. O governador de Minas justificou a recusa dizendo que no mesmo horário estará em seu gabinete em audiência com deputados federais da esquerda. Hoje pela manhã, Itamar viajou para São João Del Rey e de lá seguiu de trem para Tiradentes, onde seria homenageado na 3ª Mostra de Cinema da cidade.
Um mês depois de deixar o PMDB, na última sexta-feira, ele discutiu com a deputada Luíza Erundina (PSB-SP) a criação de um novo partido de centro-esquerda. Itamar já esteve em Brasília para a a posse do desembargador Carlos Velloso no Supremo Tribunal Federal(STF). Na ocasião, ele e Fernando Henrique sequer se cumprimentaram. Havia expectativa que Itamar participasse da solenidade de posse de Quintão em função da sua amizade com o futuro ministro a quem indiciou, há sete anos, para a Advocacia Geral da União (AGU).
A briga entre o governo federal e o governo mineiro começou em janeiro do ano passado, após a decretação da moratória por parte de Itamar Franco. Na última quinta-feira mais R$ 23 milhões foram retidos pelo Tesouro Nacional nas contas mineiras de maneira a forçar o Estado a honrar seus débitos com o governo federal, como prevê o acordo de renegociação da dívida firmado em fevereiro de 1998.