FHC reafirma que quer o melhor salário mínimo possível8/Mar, 11:00 Por Tânia Monteiro, enviada especial Lisboa, 8 (AE) - O presidente Fernando Henrique Cardoso reafirmou que quer o melhor salário mínimo possível para o trabalhador, desde que o aumento não implique em inflação, nem em desequilíbrio das contas públicas. "O setor privado não está impedido de aumentar o salário mínimo", ressaltou. O problema, segundo o presidente, são as aposentadorias e pensões. "No caso do salário mínimo, o que interessa é manter a capacidade de compra e quem puder pagar mais que pague, valendo inclusive para os Estados e Municípios", afirmou o presidente, lembrando que os Estados e Municípios que concederem aumento do mínimo são os que certamente colocaram suas contas em dia e não vão bater à porta do governo para pedir ajuda. Segundo FHC, o aumento do mínimo sem a definição de fonte para financiar a previdência, gera inflação que, por consequência provoca o aumento das taxas de juros. Fernando Henrique falou também sobre o teto salarial do funcionalismo público. Ele reiterou que sempre foi favorável ao teto de R$ 10 8 mil, mas que pelas "peculiaridades"da Justiça chegou-se a um valor maior (R$ 11,5 mil) "que não afeta o funcionalismo". FHC disse que o novo teto só afetaria o presidente da República que, no entanto, abriu mão desse reajuste. As declarações de Fernando Henrique foram durante comunicado conjunto com o presidente de Portugal, Jorge Sampaio, no Palácio de Belém.