Montevidéu, 1 (AE) - Em entrevista concedida à rádio uruguaia El Espectador, o presidente Fernando Henrique Cardoso demonstrou irritação com o relatório do Departamento de Estado dos Estados Unidos, divulgado na semana passada, que faz críticas ao Brasil com relação aos direitos humanos. "Por que os países da América Latina não fazem relatórios sobre os Estados Unidos?", questionou o presidente. "Qual a responsabilidade que tem os mercados americanos sobre a situação no Brasil?", indagou. "Os dados mentem muito", acrescentou o presidente, destacando que o importante é saber se o País está ou não melhorando.
Com relação ao trabalho infantil, que consta no relatório do Departamento de Estado norte-americano, o presidente lembrou que o seu governo tirou 160 mil crianças que trabalhavam na lavoura da cana-de-açúcar. Sobre a pobreza no País, Fernando Henrique disse que esse conceito depende do nível de pobreza fixado no relatório. "Eu não posso ser culpado por 500 anos de exploração", reagiu o presidente. Ele citou os programas do governo na área de educação e garantiu que os programas sociais não sofreram corte de recursos. Quanto ao valor do salário mínimo, o presidente observou que quem vive de salário mínimo no Brasil não gasta em dólar, mas em real e que nesse caso não pode ser comparado.
Segundo ele, a análise sobre o mínimo tem que ser feita em relação a cesta básica e não ao dólar. E o importante, segundo o presidente, é que hoje, com 70% do salario minimo pode ser comprada uma cesta básica. "Nos teremos aumento real no salário mínimo, mas com responsabilidade", disse o presidente.