Luciana Pombo
De Curitiba
O Grupo Força Especial de Repressão Antitóxicos (Fera) começou a intensificar, neste final de semana, as operações de combate ao narcotráfico, no Paraná. Segundo o delegado chefe do Fera, Adauto de Oliveira, as principais quadrilhas que agem em Curitiba e Região Metropolitana já foram mapeadas, o que facilita a prisão de diversos integrantes do esquema do narcotráfico no Estado. ‘‘Agora temos que agir com rigor, fazendo operações táticas para a prisão dos traficantes’’, declarou ele.
Durante o final de semana, investigadores do Fera fazem plantão para atender possíveis ocorrências e checar denúncias anônimas feitas pelo telefone. ‘‘Estamos mapeando as quadrilhas para fazermos uma corrente em busca dos traficantes. Queremos os grandes e não os passadores de buchinhas’’, afirmou. O mapeamento encontrou quadrilhas que atuam no tráfico de drogas em Curitiba, com rota no Mato Grosso do Sul, Paraguai e Santa Catarina. Outras quadrilhas atuam ainda no Norte do Estado.
Para o combate ao narcotráfico, Oliveira conta com as informações que estão sendo repassadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Brasília e pela Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Assembléia Legislativa. ‘‘São mais de cinco mil denúncias que estão sendo verificadas e repassadas para as investigações’’, contou ele.
Segundo as informações prestadas pelo delegado do Fera, alguns integrantes de quadrilhas especializadas, que atuam no tráfico de drogas no Paraná, já estão presos. A polícia pretende chegar a outros traficantes com base em informações dadas por eles. ‘‘É uma rede. Quando se pega um, todos os outros acabam caindo’’, declarou.