Fechamento de retorno no pedágio em Jataizinho gera protesto


Vitor Struck - Grupo Folha
Vitor Struck - Grupo Folha

Moradores de Jataizinho, na Região Metropolitana de Londrina, voltaram a protestar contra as medidas tomadas pela Triunfo/Econorte, concessionária que administra a praça de pedágio na saída da cidade e cuja tarifa é uma das mais altas do estado. O motivo da vez foi o fechamento do retorno localizado no canteiro da pista, no quilômetro 126 da BR-369 e que antecede o pedágio. Questionada, a assessoria de comunicação da Triunfo/Econorte justificou que a medida visa aumentar a segurança no local.  

Fechamento de retorno no pedágio em Jataizinho gera protesto
Whatsaap
 

Morador da região, o motorista Roberto Carlos Bila, disse que se sentiu prejudicado com a mudança. Embora ele e outros vizinhos tenham a isenção da tarifa, a alteração “sem justificativa plausível”, considerou, vai prejudicar familiares e demais visitantes que terão que pagar duas vezes para terem acesso à sessão Água das Flores, onde moram cerca de 40 famílias. O atual valor para carros de passeio na praça é R$ 24,60. 




“Eles querem fechar o nosso retorno, nós temos que pagar para ir e pagar para voltar. Vamos reunir uma comissão e resolver o que vai fazer. Eles estão querendo dar cartão pra nós, dali dois, três meses fecha de novo. Só o morador tem o cartão e não paga nada, mas se vier um parente na minha casa ele tem que pagar o pedágio. É complicado, nós não temos força contra eles”, lamentou.  


Questionado, o morador avaliou que a região não registra grande número de acidentes, conforme justificou a concessionária. “É mínimo. Onde tinha foi fechado que é em frente ao posto Euro, o primeiro posto descendo”, comparou.  


A FOLHA entrou em contato com a PRF (Polícia Rodoviária Federal) para solicitar um levantamento, porém sem sucesso até a publicação desta reportagem.  


Já a Econorte disse que a mudança foi tomada após uma análise técnica sobre manobras irregulares no local, porém, quando solicitada, não enviou estes dados.   

 

Veja a nota completa:  

“A Econorte informa que o fechamento do retorno na BR-369 (km 127) é necessário, após análise técnica realizada, para o restabelecimento das condições de segurança no local. Tais medidas buscam minimizar situações de risco ocasionadas por manobras irregulares de retorno em local proibido, bem como evitar a realização de retorno em local com intenso fluxo e saídas lindeiras. A ação visa garantir a salvaguarda da vida dos usuários e trabalhadores que utilizam o local. Reitera que tal medida foi adotada com o objetivo de garantir a segurança de todos e evitar a ocorrência de acidentes.” 

 

CONTRATOS 




O protesto em Jataizinho foi realizado no mesmo dia em a Alep (Assembleia Legislativa do Paraná) lançou a "Frente Parlamentar do Pedágio", um grupo de trabalho formado para fiscalizar os trabalhos acerca do encerramento dos contratos, em novembro 2021. A nova concessão do chamado Anel de Integração chegará a 3,8 mil quilômetros divididos em até oito lotes.  

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo